5 passos para utilizar o 13° salário com sabedoria

O investidor precisa tomar bastante cuidado para não se deixar levar pelo clima de festas e acabar com todo o seu dinheiro

Saber utilizar o 13º salário é um excelente primeiro passo para quem deseja começar a ter uma vida financeira estável e bem planejada. Com a chegada do fim de ano, as confraternizações e trocas de presentes, gastar aquela renda extra recém-recebida acaba tornando-se uma grande tentação para muitos. 

O investidor precisa tomar bastante cuidado para não se deixar levar pelo clima de festas e acabar com todo o seu dinheiro sem pensar no dia de amanhã. Por isso, adotar critérios estratégicos na hora de receber o 13º e se organizar financeiramente é essencial.

5 passos para usar o seu 13° salário com sabedoria

1 – Dívidas pendentes

Se o objetivo é ter uma situação financeira saudável, não adianta acumular contas vencidas e procrastinar o pagamento das mesmas. Além dos juros ficarem cada vez mais altos, deixando o valor da dívida maior, uma hora o nome da pessoa acabará negativado no mercado.

Então, usar essa renda extra para quitar as pendências pode ser uma ótima oportunidade para começar a organizar as finanças do zero.

2 – Gastos do começo de ano

Durante as festas de fim de ano, normalmente as pessoas acabam esquecendo que em breve irão surgir novos boletos e contas para pagar. Portanto, é importante se programar com antecedência.

O IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano), o IPVA (Imposto sobre Veículos Automotores), as despesas escolares e, por fim, as renovações de planos que sempre sofrem aumentos nesta época.

Segundo uma pesquisa feita pelo SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) em parceria com a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas), apenas 11% dos consumidores brasileiros terão condições de arcar com as suas despesas no começo de 2021.

3 – Reserva de emergência

O primeiro dinheiro que entra é aquele que se guarda. Então, mesmo com todas as dívidas quitadas e programadas, o ideal seria não sair gastando o 13º salário em um piscar de olhos, mas sim guardar todo o valor ou, pelo menos, grande parte dele. 

Nesse sentido, criando o costume de estipular uma boa porcentagem do dinheiro para investir em uma aplicação tradicional. Por exemplo, pegar 50% a 80% do valor ganho e colocar na reserva de emergência.

Desta forma, fica mais fácil controlar gastos desnecessários que possam acabar prejudicando qualquer estabilidade financeira no futuro.

4 – Investimentos

Esta é também uma boa oportunidade para começar a investir no mercado financeiro. Caso a pessoa ainda não tenha experiência no setor, poderá começar por aplicações de baixo risco.

Os fundos de renda fixa, os CDBs de bancos intermediários ou mesmo debêntures de empresas confiáveis, por exemplo.

Por outro lado, para aqueles que já estão inseridos na renda variável, é possível potencializar ainda mais a carteira de investimentos, comprando e aumentando o número de ações que têm.

5 – Presentes e mimos

Após este planejamento financeiro, tendo guardado parte do 13º salário e aplicado outra em algum investimento, não há problema em usar o resto do dinheiro para comprar um mimo pessoal ou presentear os entes queridos. 

Primeiramente, seria bom analisar se o item é realmente necessário e se vale a pena comprá-lo no momento. Além disso, caso a lista de presentes de natal seja grande, existe a possibilidade de repensar em quem é mesmo prioridade.

Estes dois pontos irão dar uma boa diminuída nos gastos de fim de ano, ajudando qualquer um a se programar para os meses seguintes. Assim como, preservar a renda extra.

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Leia mais