O novo coronavírus (covid-19) vem causando, não somente uma crise na saúde, mas também no mercado financeiro e na economia de diversos países. Com isso, o impacto na Bolsa de Valores vem sendo recorrente, onde o principal índice da Bolsa de Valores brasileira, o Ibovespa, saiu do seu patamar, que se encontrava acima dos 100 mil pontos, para perto dos 60 mil pontos, tudo isso em menos de 1 mês. Além disso, a Bolsa de Valores acionou também 6 vezes o circuit breaker, mecanismo que auxilia a B3 quando  mesma se encontra em quedas muito recorrentes em um curto espaço de tempo. Mas, não é só o Ibovespa que vem sentindo os impactos da pandemia, que já colocou diversos países em quarentena. O dólar atingiu também sua máxima histórica, desde a criação do real, chegando a ser cotado próximo dos R$ 5,20. 

“Para entender quais ações estão no radar dos investidores que enxergam esse momento como uma “liquidação”, o Financista do convidou o empresário e youtuber goiano, Raul Sena, para contar quais ações está olhando”

O novo coronavírus (covid-19) vem preocupando e causando pânico em diversos países do globo terrestre. Além da crise na saúde, a crise nos mercados financeiros vem também se instaurando. No Brasil, o principal índice da Bolsa de Valores, o Ibovespa, vem atingindo diversas quedas, saindo do patamar acima dos 100 mil pontos e atingindo os 60 mil pontos.

Com isso, o novo coronavírus vem assustando muitos investidores, principalmente aqueles que entraram na renda variável em um momento de grandes altas e valorizações, como acontecia a algumas semanas atrás, o chamado bull market. Portanto, os novatos, principalmente na Bolsa de Valores, se preocupam com o atual momento e se perguntam se é hora de tirar o dinheiro das ações, por uma questão de segurança.

Mas, mesmo em meio ao caos, existem também os investidores totalmente inversos aos novatos. Investidores, normalmente, mais experientes ou que visam mais o longo prazo, acabam por ver esse momento como uma oportunidade para aportar ainda mais na Bolsa de Valores, seja do Brasil ou do exterior também, como dos EUA, por exemplo.

É hora de investir em ações?

Para entender melhor sobre o atual momento, além de quais ações estão no radar dos investidores que enxergam esse momento como uma “liquidação” de ações, o Financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira, Fabrizio Gueratto, convidou o empresário e youtuber goiano, Raul Sena, para uma série de dois vídeos. Raul é Diretor de Novos Negócios da WTF Maison e Fundador do Canal de YouTube Investidor Sardinha.

Para começar, o Financista Fabrizio Gueratto, questiona Raul sobre o que ele, como investidor, está fazendo nesse momento de crise. “Atualmente, estou só comprando. Até agora não vendi nada. Na minha carteira eu tenho bastante Itaúsa (ITASA4), Wiz Soluções (WIZS3), Sinqia (SQIA3), Weg (WEGE3), Engie (EGIE3), sendo essa última uma das minhas maiores exposições, além de Centauro (CNTO3), que foi um ativo que eu comprei bastante nessa crise, aproveitando essa queda. Sendo que em CNTO3, eu entrei com R$ 25 mil e agora eles já se transformaram em R$ 12 mil. Eu tenho Centauro, principalmente por conta da parceria com a Nike, pois eu conversei também com muitas pessoas que trabalham na empresa. Eu faço muito isso, procuro principalmente no canal, pessoas que trabalham em locais que estou pensando em investir e bato um papo, eu chego até a ligar para o funcionário de determinada empresa”, comenta Sena sobre sua estratégia.

Por que ele comprou ações da XP Investimentos?

“Raul, agora me conta, por que você comprou ações da XP Investimentos (XP)?”, questiona o Financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira. O Diretor de Novos Negócios explica que no Brasil, hoje, a XP tem em seu time as corretoras mais relevantes do país, como a Clear, Rico, além da própria XP. “Quando a gente produz um conteúdo de educação financeira, indiretamente, estamos levando clientes para alguma corretora do grupo XP, e investir na XP foi a maneira que eu achei de ganhar dinheiro com eles”, brinca o Fundador do Canal Investidor Sardinha.

O que comprar no meio da crise do covid-19?

Já quando questionado quais as demais empresas que também aproveitou para adquirir ações em meio à crise causada pelo novo coronavírus, Raul Sena explica que comprou Santos Brasil (STBP3). “Já em relação a proteção, hoje o meu hedge consiste bastante em ouro, pois eu acredito muito em reserva de valor. Eu tenho título de ouro tanto no Brasil quanto no exterior. Além de um pouco de Tesouro Direto, já que eu compro bastante Tesouro Direto e guardo a minha reserva de oportunidade nele também. Além disso, eu tenho também, de forma bem zoada, um dinheiro em conta de banco, para usar esse dinheiro na hora que eu vejo uma ação num bom valor, com isso, aproveito para comprar”.

“Antes de acabar a nossa entrevista, eu quero saber o que você está olhando para investir meio ao caos do covid-19”, dispara Fabrizio Gueratto, Financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira. “Eu estou olhando bastante para aumentar a minha posição em BB Seguridade (BBSE3) e Wiz Soluções (WIZS3). No caso da BBSE3, acredito que faça sentindo nesse momento e WIZS3, ela despencou bastante”, diz Raul Sena, Diretor de Novos Negócios na WTF Maison e Fundador do Canal Investidor Sardinha. 

O novo coronavírus (covid-19) vem causando, não somente uma crise na saúde, mas também no mercado financeiro e na economia de diversos países. Com isso, o impacto na Bolsa de Valores vem sendo recorrente, onde o principal índice da Bolsa de Valores brasileira, o Ibovespa, saiu do seu patamar, que se encontrava acima dos 100 mil pontos, para perto dos 60 mil pontos, tudo isso em menos de 1 mês. Além disso, a Bolsa de Valores acionou também 6 vezes o circuit breaker, mecanismo que auxilia a B3 quando  mesma se encontra em quedas muito recorrentes em um curto espaço de tempo. Mas, não é só o Ibovespa que vem sentindo os impactos da pandemia, que já colocou diversos países em quarentena. O dólar atingiu também sua máxima histórica, desde a criação do real, chegando a ser cotado próximo dos R$ 5,20. 

Investidor Sardinha:

Pensando em acalmar os investidores, principalmente aqueles que entraram no bull market da Bolsa de Valores e só pegaram a parte boa, ou seja, a grande valorização de grande parte das ações, o Financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira, Fabrizio Gueratto, convidou o Diretor de Novos Negócios da WTF Maison e Fundador do Canal Investidor Sardinha, Raul Sena, para uma série de dois vídeos. O primeiro vídeo com Raul, que já foi publicado pelo canal, o Diretor de Novos Negócios contou quais ações está de olho e podem ser uma boa opção nesse momento de crise e alta volatilidade. Dentre as ações que Sena disse estar de olho ou já investindo, estão: Itaúsa (ITSA4), Centauro (CNTO3), Sinqia (SQIA3), entre muitas outras.

Quais ações NÃO investir na crise coronavírus?

Após explicar os papéis que podem ser boas alternativas nesse momento, o Fundador do Investidor Sardinha listou 10 ações que não pretende investir durante a crise causada pelo novo coronavírus (covid-19). 

Dentre elas, estão presentes: Smiles (SMLS3), CVC (CVCB3), Gol (GOLL4), Azul (AZUL4) e as demais ligadas ao setor aéreo ou turismo. “O setor da aviação já é arriscado e volátil por si só, nesse momento está ainda pior. Além disso, o setor de turismo vem sofrendo grandes consequências com a crise causada pelo covid-19 também”, explica Raul Sena. 

Além das ações ligadas ao turismo e aviação, o Diretor de Novos Negócios da WTF Maison, adicionou também a sua lista de empresas para não investir nesse momento, o Banco Inter (BIDI4), Oi (OIBR3 e OIBR4), Petrobras (PETR3 e PETR4), Vale (VALE3), Via Varejo (VVAR3) e Magazine Luiza ou popularmente chamada de Magalu (MGLU3). “Eu considero esses papeis como alternativas ruins no momento que estamos passando. Alguns por ter um lucro muito baixo ou uma dívida muito alta. Outros por já ter ocorrido uma mega valorização e outros por não acreditar no setor, como ocorre em estatal e varejo, por exemplo”, dispara o Diretor de Novos Negócios da WTF Maison e Fundador do Canal Investidor Sardinha, Raul Sena.

https://youtu.be/tmvRJwfSYrE

Leia também: ” Debênture e CDB: Renda fixa ainda precisa estar entre os investimentos”.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: