Com o avanço do novo coronavírus (covid-19) diversos países decretaram como aberto o período de quarentena, com isso, trabalhadores informais, autônomos ou aqueles que dependiam do comércio, entre muitos outros, se viram sem suas rendas, o que preocupou, não só a população, como também o governo. Dessa maneira, se viu necessário fazer o “coronavoucher”, ou seja, um auxílio para que as famílias conseguissem sobreviver no meio da crise causada pelo covid-19. O valor será de R$ 600, onde até duas pessoas da mesma família podem receber, portanto, somando R$ 1.200 por família. Porém, mas que sejam solos, receberão integralmente os R$ 1.200. O auxílio recebido pelas famílias brasileiras, servirá como base para quem pode guardar o dinheiro e gostaria de iniciar sua reserva de emergência utilizando a Nuconta.

Nuconta do Nubank

Pensando nisso, o Financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira, Fabrizio Gueratto, explicou e tirou as principais dúvidas sobre o benefício. Além disso, obteve grande parte das informações com a conta de pagamento Nuconta do Nubank, o famoso e queridinho por muitos, roxinho. 

Quem tem direito a receber?

Trabalhadores informais, desde que não estejam recebendo outro benefício do governo, como por exemplo INSS, aposentadoria, entre outros; 

“É importante também ressaltar que pessoas com registro CLT (Consolidação das Leis de Trabalho) que não estão recebendo ou que foram demitidas da empresa acabam por não se enquadrar e dessa maneira não são aptas para receber o benefício do governo”, explica o Financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira. 

Todos os trabalhadores informais da mesma casa podem receber?

“Por exemplo, se você mora em 5 pessoas na sua casa e todos são trabalhadores informais, isso significa que todos têm direito ao coronavoucher? Não, somente 2 pessoas por família poderão receber o benefício”, diz. Já em relação ao Bolsa Família, Gueratto comenta que a única exceção desta lei é em relação ao Bolsa Família. “Uma das pessoas dessa casa poderá optar por receber o Bolsa Família ou a ajuda de R$ 600”. 

Então é só ser informal que já tem o direito de receber?

“Não é bem assim, é necessário ser MEI (Microempreendedor Individual) ou estar no Cadastro Único ou então ser contribuinte do INSS. O governo quer que isso não vire bagunça, por exemplo, pessoas que não tem direito ou que não necessitem do benefício acabem recebendo. Mas, na prática, acredito que será muito complicado ter esse controle tão minucioso”, dispara o Financista Fabrizio Gueratto. 

Quantas pessoas terão direito ao benefício?

Serão 30 milhões de pessoas ajudadas através do “coronavoucher”. 

Como receber R$ 1.200 por mês?

A princípio o governo pagará o benefício por 3 meses. “Por exemplo, se você receber esse mês e no próximo arrumar um emprego, automaticamente você perderá o benefício”, explica. As mães solteiras, ou seja, que criam seus filhos sozinhas, terão direito a R$ 1.200 por mês por 3 meses. 

Como dar entrada?

Caso o governo consiga se organizar, espera-se que os pagamentos tenham como inicio o dia 16 de abril e serão feitos por bancos públicos, como Banco da Amazônia, Banco do Nordeste, Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal, Lotérica, Agência dos Correios, ou seja, o governo está usando toda a estrutura para agilizar o recebimento. Para receber é necessário acessar o site www.cidadania.gov.br e ver se você já possui cadastro ou então, é possível também ligar para 0800 7072003 ou existe a opção do Cadastro Único também, disponível nas lojas de smartphones.

https://youtu.be/l_4xkEr0ZoM

Leia também: “CDB com liquidez diária que rende 104% do CDI “.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: