Primeiro ETF com 100% de exposição a criptomoeda Ethereum estreia na Bolsa brasileira

A estreia do ETF sinaliza um marco histórico ao mercado brasileiro

No início desta quarta-feira (4), ocorreu a estreia na Bolsa de Valores (B3), do QR CME CF Ether Reference Rate Fundo de Índice (QETH11), um fundo totalmente de exposição ao ether (ETH).

A abertura na bolsa do QETH11 é coordenada pela pela QR Asset Management, gestora de recursos da holding QR Capital.

Fundo inédito de ETF

Este fundo foi inaugural com 100% de exposição da Ethereum. Posto que, é uma das maiores criptomoedas e uma das mais importantes redes para a evolução de ativos, protocolos e serviços do segmento de cripto.

A estreia do ETF sinaliza um marco histórico ao mercado brasileiro, atribuindo o título ao ether de o segundo maior criptoativo do mundo, o mais acessível aos acionistas.

Em suma, as negociações na bolsa de valores dos ETFs ocorre da mesma maneira que se negocia as ações de uma empresa e ajudam os investidores.

Uma vez que, no mercado de criptomoeda não há conhecimento técnico suficiente para criar uma carteira digital, abrir conta e acompanhar as mudanças constantes do mercado.

Logo, o preço do QETH11 acompanha o valor do CME CF Ether Reference Rate. Este é o índice mais seguro e amplo do mercado.

QETH11, o primeiro ETF com 100% de exposição ao ether do Brasil, é lançado na B3
Cripto de Etherium

Dados do ETF

A propósito, a taxa anual de administração será estabelecida em 0,75%. Assim sendo, o valor mínimo para o investimento inicial é a partir R$ 10, de acordo com a variação do mercado.

Com essa estreia, mais uma vez, o Brasil abre uma vantagem em relação aos Estados Unidos, aproximando o Canadá na disputa dos ETFs de criptoativos.

Em nota, o Fernando Carvalho, CEO da QR Capital, pontua que em vista deste cenário na B3, o investidor recebe autonomia para criar sua própria estratégia.

Dessa maneira, se alinha ao objetivo da empresa em disponibilizar excelentes opções para que o investidor possa se inserir no mercado de cripto com segurança.

Além disso, Fernando explica que o ether é um ativo consolidado como o bitcoin. Entretanto, possui um rack record” mais longo, transformando o mesmo em um excelente ativo para reforçar a diversificação de carteiras de investimentos.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais