BTG compra fatia da Caixa no Banco Pan e conclui aquisição da Necton investimentos

A transação está sujeita à aprovação dos órgãos reguladores

O BTG Pactual (BPAC11) anunciou a aquisição da fatia da CaixaPar no Banco Pan (BPAN4) por R$ 3,7 bilhões, equivalente a 26,8% do capital social total da instituição.

Segundo comunicado desta terça-feira (6), o valor da compra corresponde a R$ 11,42 por cada uma das ações e conclui a participação da Caixa no Banco Pan.

A transação ainda está sujeita à aprovação do Banco Central e do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

BTG compra fatia da Caixa no Banco Pan e conclui aquisição da Necton investimentos
BTG (BPAC11) registra queda de 4% no lucro do 2TRI

BTG: Necton

O Banco BTG Pactual (BPAC11) anunciou a conclusão na segunda-feira da aquisição de 100% do capital social da Necton Investimentos Corretora de Valores Mobiliários e Commodities, por R$ 348 milhões. Segundo a empresa foram cumpridas todas as condições precedentes para aprovação da aquisição, anunciada em outubro passado, incluindo as do Banco Central e da autoridade concorrencial competente.

Bitcoin

O BTG Pactual começou a testar o interesse dos investidores brasileiros por fundos que investem em criptoativos no ano passado, quando lançou um veículo para aplicar em fundo da fintech Hashdex, e levantou R$ 400 milhões no produto.

De acordo com o Valor Econômico, o banco resolveu montar sua própria estratégia em criptoativos e está lançando o primeiro fundo local com gestão ativa que investe em bitcoins.

Voltado ao varejo, o fundo do BTG vai ter um aporte mínimo de R$ 1, enquanto um único bitcoin custa quase US$ 60 mil (R$ 342 mil). “É um ativo que tem bastante demanda mundo afora e não tem tanta oferta no Brasil. Achamos que, com nossa expertise em distribuição e tecnologia, poderíamos colocar isso num pacote que fosse mais fácil para o investidor acessar, com baixo custo”, afirma Will Landers, chefe de renda variável da BTG Asset Management.

Ainda de acordo com o jornal, sem taxa de performance e cobrando 0,5% de administração – menor que a taxa do fundo de fundos FIC Hashdex -, a carteira do BTG investe 20% em bitcoins e o restante em renda fixa no Brasil.

Segundo Landers, a opção por colocar só uma criptomoeda no fundo é justamente para não complicar muito e o investidor conseguir acompanhar melhor o desempenho desse primeiro ativo, que é o de maior liquidez entre as criptomoedas – o que viabiliza ao fundo dar saída diária.

“É um fundo ‘carbon free’, em linha com a estratégia ESG que é super importante para o banco. Como bitcoin é produto de mineração, por computadores e demanda alta de eletricidade, compramos crédito de carbono”, diz Landers, fazendo referência aos investimentos que seguem regras de impactos ambientais, sociais e de governança.

Veja BPAN11 na Bolsa:

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais