O grupo hospitalar Rede D’Or contratou bancos para uma oferta pública inicial (IPO), buscando uma avaliação de pelo menos R$ 100 bilhões, segundo a Reuters.

A empresa e seus acionistas, que incluem a família fundadora Moll, a empresa de private equity Carlyle e o fundo de Cingapura GIC, planejam levantar R$ 15 bilhões.

A maior parte dos recursos será arrecadada para financiar a expansão da Rede D’Or, incluindo algumas aquisições, afirmou a fonte.

Em fato relevante, a empresa disse que está constantemente avaliando oportunidades de levantar capital nos mercados de renda fixa e variável.

A Rede D’Or contratou Bank of America, JPMorgan, BTG Pactual, Bradesco BBI e XP Investimentos para coordenar a oferta, prevista para o quarto trimestre.

IPO: BIDI11

O conselho de administração do Banco Inter (BIDI11) aprovou oferta primária de até 19,575 milhões de units com esforços restritos, que estima precificar em 3 de setembro.

Cada unit é constituída por 1 ação ordinária e 2 preferenciais.

Conforme a Reuters, considerando o preço de fechamento das units na véspera, de R$ 60,91, a operação alcança R$ 1,19 bilhão.

De acordo com fato relevante do banco digital nesta quarta-feira (26), a oferta contempla a distribuição inicial de 14,5 milhões de units (14,5 milhões de ONs e 29 milhões de PNs), que pode ser elevada em até 35% para atender eventual excesso de demanda.

O Banco Inter disse que pretende utilizar os recursos da oferta acordo com o seu plano de negócios, notadamente para investimentos no lançamento de novos produtos e expansão dos negócios por meio de aquisições estratégicas.

A operação tem como coordenadores Bradesco BBI, BTG Pactual, JPMorgan e Santander Brasil.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: