A CVM divulgou ofício com orientações a respeito das apresentações virtuais de executivos na internet (lives).

A autarquia estabelece diretrizes que devem ser seguidas com relação à divulgação de informações nesses eventos, com objetivo de dar acesso equitativo a todo o mercado.

De acordo com a CVM, são orientações que já constam em ofícios anteriores e não apresentam inovações com relação ao que já é previsto em lei.

São elas: envio de comunicado ao mercado com a data, horário e endereço da internet em que a live será realizada com a participação de algum representante da companhia.

CVM muda regra e permite BDRs de empresas brasileiras listadas no exterior
CVM muda regra e permite BDRs de empresas brasileiras listadas no exterior

CVM: o documento

O documento deve conter os temas que serão abordados, mesmo que não haja material visual, assim como as perguntas que serão feitas, o que pode ser obtido com o organizador do evento.

Caso sejam abordados assuntos que não estavam nessa prévia, a empresa tem que acrescentar as informações e reapresentar o comunicado pelo sistema eletrônico.

O material apresentado em reuniões com analistas e agentes do mercado deve ser enviado pelo sistema eletrônico, no mesmo dia da live, antes ou concomitantemente à apresentação,

se não for possível divulgar com antecedência o conteúdo.

A recomendação da CVM é que a live ocorra fora do horário de pregão e, preferencialmente, após o fechamento do mercado.

Desta forma, a equipe de Relações com Investidores da companhia poderá preparar o material que deverá ser divulgado após o fim do evento no sistema eletrônico.

As recomendações da CVM têm relação com as diversas lives com CEOs e executivos de companhias promovidas por órgãos de imprensa e outras instituições, muitas vezes com acesso aberto ao público, em razão da quarenta que já dura cinco meses e praticamente suprimiu eventos presenciais.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: