A varejista Havan, de Brusque, em Santa Catarina, fundada pelo empresário Luciano Hang, registrou sua oferta pública inicial (IPO).

Segundo o Valor, o fundador enviou uma carta aos investidores. “Eu sou o Luciano Hang, um homem de origem simples, com um começo de história comum a muitos brasileiros. Disléxico, tive muitas dificuldades e só consegui ler aos 12 anos”, diz trecho do documento.

A Havan dobrou sua receita operacional líquida 2017, para R$ 7,9 bilhões em 2019. A margem Ebitda foi de 14%, com lucro líquido ajustado no ano passado de R$ 756 milhões e contábil de R$ 428 milhões.

Havan, de Luciano Hang, deve entrar na fila do IPO este ano
Havan, de Luciano Hang, deve entrar na fila do IPO este ano

Havan: números

No primeiro semestre de 2020, a companhia teve prejuízo de R$ 127,5 milhões. A dívida líquida, ao fim do primeiro semestre, era de R$ 954,4 milhões.

A varejista pretende levantar R$ 10 bilhões e chegar à bolsa valendo quase R$ 100 bilhões.

A companhia se define como uma rede que vende “de tudo para todos”, com mais de 320 mil itens diferentes ao longo do ano em suas lojas.

A empresa tem 149 ‘megalojas’ e aponta plano de chegar a 200 até o final de 2022.

Itaú BBA, XP Investimentos, BTG Pactual, Morgan Stanley, Bank of America, Bradesco BBI, Safra e Santander coordenarão a oferta.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: