A Vale (VALE3) informou nesta segunda-feira (24) que a Caixa de Previdência dos Funcionários do Banco do Brasil (Previ) diminuiu participação acionária na empresa.

A Previ alienou ações ordinárias da Vale na bolsa de valores, reduzindo participação direta de 5,03% para 4,98%.

Agora, a posição da Previ é de 263.289.305 ações VALE3.

A redução da participação não tem intenção qualquer a não ser de investimento, assegura a caixa previdenciária.

As ações ordinárias da Vale fecharam o pregão da segunda-feira com alta de 1,22%, indo a R$ 62,96.

Vale (VALE3): lucro líquido de US$ 995 mi no 2º tri e política de dividendos
Vale (VALE3): lucro líquido de US$ 995 mi no 2º tri e política de dividendos

VALE3: Siemens

A Vale também fechou parceria com a Siemens e a MicroPower Comerc (MPC) para desenvolver um sistema de armazenamento de energia em bateria nas suas operações no Terminal da Ilha Guaíba (TIG), no Rio de Janeiro.

De acordo com a empresa, isso vai reduzir em cerca de 20% o custo com energia no porto.

Porque o custo da concessionária nos horários de pico é maior.

O sistema Battery Energy Storage Systems (BESS, na sigla em inglês) tem capacidade para armazenar 10 megawatts-hora, o suficiente para abastecer 45 mil residências por uma hora.

Conforme fato relevante, o equipamento será carregado sempre que a demanda por energia do TIG estiver baixa, para, assim, poder substituir a rede da concessionária nos momentos em que essa demanda for mais alta.

Para a Vale, o projeto é um passo importante na estratégia de descarbonização da empresa.

Isso porque à medida que a Vale continua a descarbonizar suas operações, o uso de baterias se tornará uma parte cada vez mais importante na eletrificação da frota de equipamentos.

As baterias do projeto são fabricadas pela Tesla.

Além disso, vale ressaltar que a Siemens é dona de 20% da MPC.

Veja VALE3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: