A transmissora de energia Taesa (TAEE11) reportou lucro líquido de R$ 437,8 milhões no segundo trimestre de 2020, alta de 42,4% na comparação anual.

Segundo a companhia, o resultado foi impulsionado por aquisições passadas e novos ativos em operação, o que demonstra a resiliência de negócios de transmissão em meio à pandemia.

O Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) alcançou R$ 316,8 milhões, uma alta de 2,4% a.a.

Já a receita líquida atingiu R$ 755,7 milhões, alta de 76,8% na comparação com igual trimestre do ano anterior.

A Taesa disse que o resultado foi impulsionado pelos maiores investimentos em projetos em construção, que tiveram efeitos positivos sobre receita de implementação, de cerca de R$ 133,8 milhões, e equivalência patrimonial de R$ 43 milhões.

O balanço da companhia foi divulgado nesta quinta-feira (13).

TAEE11: números

Conforme o balanço, a companhia obteve R$ 25 milhões para o lucro líquido decorrente de aquisições recentes de ativos de transmissão da Eletrobras e pela entrada em operação dos empreendimentos Miracema e Mariana.

O caixa ficou em R$ 2,2 bilhões, alta de 32% frente ao primeiro trimestre, após uma captação de R$ 900 milhões em abril.

Já a dívida líquida encerrou o trimestre em R$ 4,43 bilhões, com aumento de 77,7% na comparação anual. A alavancagem medida pela relação entre a dívida e a geração de caixa (Ebitda) ficou em 3,3 vezes, ante 1,8 vez em 2019.

TAEE11: investimentos

A empresaa registrou investimentos de R$ 695,3 milhões nos primeiros seis meses de 2020, contra R$ 197,9 milhões em igual período de 2019.

O conselho da companhia aprovou distribuição de R$ 279,3 milhões em dividendos intercalares e juros sobre o capital próprio, com pagamento em 26 de agosto.

A empresa, que tem como acionistas a estatal mineira Cemig e a colombiana Isa.

Veja a TAEE11 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: