O PIX, app do governo para transferências eletrônicas de dinheiro, promete transformar a vida dos usuários, facilitando transações e modernizando as operações.

A afirmação é do Chief Marketing & Digital Officer (CMDO) do Banco Bari, Ricardo Sanfelice, acrescentando que o PIX será oficialmente lançado em 16 de novembro.

“O app permitirá fazer transferências de dinheiro entre pessoas e para estabelecimentos, além de pagamentos de contas em tempo real em qualquer dia e hora, inclusive fins de semana e feriados”, disse.

Para Sanfelice, disponível 24 horas por dia, a agilidade e a segurança do Pix prometem revolucionar o modo como se faz transferências e pagamentos.

Isso porque o valor a ser pago ou transferido com o Pix sai direto da conta do usuário pagador para a conta do usuário recebedor, seja ele pessoa física ou estabelecimento, sem necessidade de intermediários.

“Assim, a transação é muito mais rápida, de até 10 segundos, e também praticamente zera os custos por transação, liberando os usuários de pagar taxas nas transferências para outros bancos, por exemplo”, elencou.

PIX: as 10 maiores dúvidas sobre o novo sistema de pagamentos do governo

Simplicidade

Outro destaque, disse, é a simplicidade na hora de fazer uma transação. Basta acessar a área específica do Pix no aplicativo do banco ou de carteiras digitais e preencher a chave da pessoa para quem deseja enviar o dinheiro e o valor a ser transferido.

Também será possível realizar pagamentos utilizando QR Codes de estabelecimentos ou de contas específicas já com valores predeterminados.

“As chaves são um recurso do Pix exatamente para facilitar a identificação dos usuários. Em vez de informar nome, CPF, agência e número da conta cada vez que for fazer uma transferência, com o Pix basta informar a chave, que pode ser um e-mail, o CPF ou um número de celular. Cada usuário poderá cadastrar até cinco chaves diferentes utilizando estes dados.”

E disse mais: “se você fez o seu pré-cadastro no banco A utilizando seu CPF, por exemplo, pode utilizar outro dado, como número de telefone celular ou e-mail, para cadastrar uma nova chave no banco B. Mas não será possível utilizar a mesma chave para contas distintas ou em bancos diferentes. Uma vez cadastrada em uma conta, a chave somente poderá ser utilizada neste banco”, frisou.

Funcionalidade

Conforme Sanfelice, o Pix permite cadastrar, excluir, solicitar portabilidade e reivindicar titularidade de chaves, para o caso de números de telefones celulares que são trocados pelos usuários com mais frequência.

“Tudo será feito no aplicativo do seu banco, na área destinada ao Pix”, disse.

A partir de 5 de outubro, os usuários poderão cadastrar estas chaves nos aplicativos dos bancos e carteiras digitais onde já têm uma conta corrente ou poupança e que participarão do processo de homologação para oferecer o serviço.

Isso porque, nesta primeira etapa, apenas instituições com mais de 500 mil contas ativas foram obrigadas a participar da homologação para se adequar a oferecer o serviço no lançamento.

Porém, outras instituições tiveram a chance de se voluntariar para participar do processo e oferecer o Pix antecipadamente aos clientes.

Com o Pix, o Brasil inicia uma nova fase na evolução dos meios de pagamento, acompanhando a tendência do movimento cashless, como em alguns países europeus, que têm metas para extinção do papel moeda em alguns anos.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: