O BTG Pactual (BPAC11) é o novo parceiro do movimento Viva Água, iniciativa que busca melhorar a qualidade hídrica na Bacia do Rio Miringuava, em São José dos Pinhais, no Paraná, a partir de ações de conservação da natureza e de empreendedorismo sustentável.

O modelo tem potencial para ser replicado em outras localidades do país, com ações que contemplam a recuperação da vegetação nas margens dos rios, a capacitação de produtores rurais em modelos de agricultura mais sustentável e o incentivo a atividades como o turismo rural.

BTG (BPAC11) registra queda de 4% no lucro do 2TRI

Investimento

O investimento do BTG Pactual no Viva Água, na ordem de R$ 200 mil, faz parte da iniciativa #NumerosQueImportam e tem como objetivo promover a segurança hídrica por meio de iniciativas como fomento ao empreendedorismo de impacto socioambiental positivo e a criação de instrumentos financeiros inovadores capazes de desenvolver os pequenos negócios e a produção agrícola sustentável.

“Atualmente, a Bacia do Rio Miringuava é responsável pelo abastecimento de 230 mil pessoas, devendo chegar a 650 mil nos próximos anos. É o tipo de projeto que interessa ao BTG Pactual, pela relevância do tema e pelo alcance das ações, pois estamos contribuindo para que a água fique disponível por mais tempo, mesmo em momentos de estiagem”, afirma o CEO do BTG Pactual, Roberto Sallouti.

O movimento

O movimento Viva Água foi idealizado pela Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza e reúne atores públicos, privados, acadêmicos e da sociedade civil organizada em torno da recuperação e conservação da Bacia do Rio Miringuava, bem como o fomento a negócios de impacto socioambiental positivo na região. A bacia é responsável por abastecer mais de 230 mil habitantes na Região Metropolitana de Curitiba (RMC).

Diante da estiagem que afeta hoje diversas localidades no Brasil, reservatórios têm registrado volumes cada vez mais baixos de água. Na Região Metropolitana de Curitiba, por exemplo, os reservatórios estão com 30% da sua capacidade. Nesse contexto, os impactos do desmatamento na Amazônia e os efeitos do aquecimento global têm criado uma situação de insegurança hídrica em várias localidades do País, o que pode se agravar nas próximas décadas. Modelos adaptáveis como o criado pelo movimento Viva Água podem ajudar na redução desses impactos a longo prazo.

BPAC11: Atvos

O BTG Pactual está avaliando a aquisição do controle de usinas sucroalcooleiras da Atvos, que hoje pertencem ao grupo Odebrecht, estão, desde maio de 2019, em recuperação judicial e possuem dívidas de aproximadamente R$ 11 bilhões.

O aporte na companhia, por parte do banco, deverá ser de R$ 500 milhões.

A Atvos está em busca novos investidores para dar continuidade às suas operações, que contam com capacidade total de moagem de 37 milhões de toneladas de cana.

Para a Guide Investimentos, a aquisição do novo negócio permitiria ao BTG ampliar seu horizonte de atuação, entrando no mercado de sucroalcooleiras.

Veja BPAC11 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: