O Índice de Atividade Econômica do Banco Central (IBC-Br), sinalizador do Produto Interno Bruto (PIB), teve alta de 1,06% em agosto na comparação com julho, de acordo com dado dessazonalizado divulgado pelo BC nesta quinta-feira (14).

A expectativa de economistas era de uma alta de 1,60%, segundo pesquisa da Reuters.

Sobre agosto de 2019, o IBC-Br apresentou contração de 3,92% e, no acumulado em 12 meses, teve recuo de 3,09%.

Economia Brasileira

Atividade do comércio cai 8,8%

As vendas do comércio recuaram 8,8% na semana do feriado de 12 de outubro em relação ao mesmo período do ano passado, mas tiveram desempenho melhor que a queda de 10,6% verificada na semana do Dia dos Pais, afirmou nesta quinta-feira a empresa de análise de informações de crédito Serasa Experian.

A baixa menor do que a verificada na data comemorativa anterior é positiva, segundo a empresa, pois mostra que a recuperação da economia, mesmo que em ritmo lento, está acontecendo.

“Existem dois principais motivos que mantém o cenário de retração: um deles é o desemprego, que continua em alta, o outro está ligado à redução do valor do auxílio emergencial, que foi cortado pela metade na maioria dos casos”, afirmou em comunicado à imprensa, o economista da Serasa Experian, Luiz Rabi.

“Ou seja, embora o consumidor ainda esteja sem fôlego para realizar compras que não sejam prioridade, os níveis de consumo não estão piorando, pelo contrário, estão caminhando para a retomada”, acrescentou.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: