O Pix, novo sistema de pagamento instantâneo do Banco Central, está ganhando escala, atraindo novos usuários e fidelizando clientes pela facilidade e rapidez em suas operações. Entretanto, é preciso ficar atento para evitar cair em fraudes e golpes de todo tipo.

CEO da PagueVeloz, Paulo Gomes elencou quatro dicas para que o consumidor perca o medo de usar o Pix e maneje bem a nova ferramenta.

Para ele, com a entrada do sistema em operação, muitos consumidores e empresas impulsionaram um tema que é bastante comum no universo online: como evitar transtorno durante compras e pagamentos no ambiente online.

“O público precisa ter em mente que o Pix é um facilitador. Para que não haja armadilhas durante as compras é preciso olhar outros pontos que vão além desta inovação na forma de realizar pagamentos”, frisou.

PIX: as 10 maiores dúvidas sobre o novo sistema de pagamentos do governo

Fintech

Segundo ele, a fintech é destaque no mercado justamente por proporcionar que os saldos das vendas caiam na conta dos clientes no mesmo dia – incluindo casos de parcelamentos em cartões. Uma desburocratização que torna a gestão financeira mais simples e ágil.

“Temos uma conta digital completa para pequenos negócios e para pessoa física. Hoje uma transferência PagueVeloz ao banco é processada na hora. Com o Pix, o mesmo passa a acontecer com o caminho inverso – banco ao PagueVeloz”, explica.

Portanto, se com o Pix as armadilhas se reduzem, confira abaixo outros pontos que podem proteger e evitar golpes em pagamentos e compras:

Selecione bons fornecedores

Não importa o tamanho da sua empresa, nem se ela é mais focada em produtos ou serviços, você sempre terá fornecedores: sejam equipamentos e tecnologias para efetuar seus serviços ou produtos para revendê-los aos clientes finais. Em todos os casos, buscar bons fornecedores é fundamental para que você não seja passado para trás.

“Muitas empresas fornecedoras entram no mercado com vontade de ter o máximo de parcerias possíveis. Acontece que nem todas estão preparadas para atender demandas ilimitadas e, justamente nesse ponto acaba se tornando sensível”.

Busque informações com empresas do ramo

Se você vai montar uma autoescola, converse com donos de outras autoescolas para saber onde eles compraram tudo o que precisavam para abrir uma. Tem pessoas que não gostam de passar esse tipo de informação? Sim, infelizmente. Mas tem muita gente que não liga e isso será de grande ajuda. Não tenha medo de perguntar, pedir contatos, etc.O mesmo vale para qualquer ramo de negócio.

Reputação no mercado

Depois de achar quais empresas vão fornecer para você aquilo que seu negócio precisa, verifique a reputações delas em dispositivos online como o Reclame Aqui e o Consumidor.Gov. Pode não parecer tão importante, mas a forma como ela se comporta com os clientes nesses espaços diz muito sobre como ela será com você.

Comunicação rápida e dinâmica

Lembre de uma regra de ouro: empresa boa de se relacionar é aquela que estabelece uma comunicação rápida e dinâmica com todos os seus stakeholders (clientes, funcionários, fornecedores, poder público, entre outros).

https://youtu.be/w_B42Di3moU
Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: