Ibovespa: veja as ações que protagonizaram as maiores quedas do mês de setembro

Setembro termina como o pior mês para o índice, somando uma queda de 6,5%

O mês de setembro não foi fácil para o mercado de ações no Brasil. Isso porque esses 30 dias foram classificados como os piores do ano, quando o Ibovespa acumulou uma queda de 6,5%, saindo de 118,7 mil pontos para os 110,9 mil.

Levando em consideração as diversas crises que a economia vem enfrentando, os motivos da queda são muitos. Entre eles, as condições chinesas no exterior e os dramas políticos no interior do país foram os mais preocupantes.

Dessa forma, veja as principais ações que tiveram queda no Ibovespa em setembro:

Retrospectiva

Vale lembrar que o mês de setembro já começou em um clima tenso. Logo no início, nos dias 7 e 12, o país presenciou manifestações a favor e contra o governo Bolsonaro. Entre os episódios, declarações polêmicas do presidente da república causaram uma tensão entre os poderes democráticos.

Além disso, a breve greve dos caminhoneiros, junto com o aumento dos combustíveis, contas de energia, gás e alimentos pressionaram a inflação, que chegou a 9,68% no acumulado de 12 meses. Por consequência, a taxa Selic teve sua quinta alta consecutiva, chegando a 6,25%, um aumento histórico.

Por outro lado, já do meio para o final do mês, o país viu as ações da sua maior mineradora, a Vale (VALE3), perecer mediante a baixa assustadora das commodities e a ameaça da economia chinesa, uma vez que o região asiática passa por uma crise de energia.

Ainda assim, surgiu também a possibilidade da Evergrande, uma das maiores empresas do setor imobiliário da China, deixar de pagar uma dívida bilionária para o Brasil.

Ibovespa: Veja as ações que protagonizaram as quedas de setembro

Maiores baixas

As protagonistas das quedas do Ibovespa em setembro foram empresas varejistas, que pereceram com o aumento da inflação. Entretanto, a posição de maior baixa ficou com o Banco Inter (BIDI11: -31,18% e BIDI4: -28,56%). Segundo a fintech, seus ativos foram afetados devido ao aumento da Selic.

Logo em seguida, vieram as ações da Via (VVAR3). A varejista perdeu 25,79% do valor de seus ativos em apenas 30 dias devido às incertezas no cenário econômico interno do Brasil.

Dessa forma, em terceiro e quarto lugar também ficaram companhias de varejo. A Lojas Americanas (LAME4) e Magazine Luiza (MGLU3) apresentam quedas de -25,24% e -21,38%, respectivamente.

Exceções à regra

Mesmo em um mês difícil como este, tiveram ações que se destacaram no Ibovespa. As 5 maiores altas foram: Marfrig (MRFG3: +33,36%), Minerva (BEEF3: +25,00%), JBS (JBSS3: +18,93%) e BRF (BRFS3: +15,67%).

Em suma, é possível observar que a maioria dos ativos que tiveram alta em setembro foram empresas do setor de comercialização de proteína.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais