Uma das principais construtoras e incorporadoras do país, a Gafisa (GFSA3), dá mais um passo rumo ao incremento de sua plataforma imobiliária.

Isso porque na última sexta-feira (11) o CADE (Conselho Administrativo de Defesa Econômica) aprovou a compra do Hotel Fasano Itaim e de 32 studios do Condomínio Pedroso Alvarenga, pela Gafisa, cujo empreendimento pertencia, antes, à Even Construtora e Incorporadora.

Gafisa (GFSA3) tem compra do Hotel Fasano aprovada pelo CADE

A operação

Para o vice-presidente de Finanças e Gestão da Gafisa, Ian Andrade, a operação representa uma oportunidade para a companhia diversificar as suas atividades no mercado imobiliário.

“A Gafisa vê essa operação como mais um passo na direção da estruturação de sua nova unidade de negócios de gestão de propriedades para renda, diversificando o seu portfólio de ativos e receitas e maximizando o uso do seu expertise no mercado imobiliário brasileiro”, destaca o executivo.

A venda dos empreendimentos foi realizada pela Taperebá, subsidiária da Even, sob o valor de R$ 310 milhões.

3º tri

A Gafisa registrou um prejuízo líquido de R$ 56,5 milhões no terceiro trimestre de 2020.

Os número refletem uma piora no prejuízo superior a 33 vezes quando comparada ao prejuízo de 2019, com R$ 1,66 milhão.

O resultado financeiro foi uma despesa de R$ 28,1 milhões no terceiro trimestre contra um resultado negativo em R$ 2,4 milhões no mesmo período do ano anterior.

As Vendas Sobre Oferta (VSO) foram de 10,6%, um aumento de 7,6 p.p. na comparação anual.

Segundo a Gafisa, o aumento é um reflexo do maior volume de vendas e lançamento do trimestre.

“Acreditamos que esse valor apresentará ainda uma melhora com os próximos lançamentos da Companhia, que além de disponibilizar novos produtos, usualmente reflete também em um impacto positivo na venda de unidades em estoque”, disse a Gafisa.

No terceiro trimestre de 2020, foram entregues dois projetos somando 421 unidades e um VGV total de R$ 140,3 milhões.

Os distratos reportados no trimestre foram de R$ 24,2 milhões, um aumento de 156% na comparação anual.

O lucro antes de juro, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) ajustado somou R$ 7,9 milhões. Isso representa uma redução de 74,5% quando comparada ao Ebitda de R$ 31,05 milhões de um ano atrás.

Veja GFSA3 na Bolsa:

https://youtu.be/fOFcuYaUkZs
Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: