Após o boom de 2003 que culminou no início do superciclo das commodities, um novo cenário favorável começa a se desenhar, e deve beneficiar companhias como Petrobras (PETR4) e Vale (VALE3).

Interessada em ampliar sua infraestrutura, a China está puxando a demanda por minério de ferro e consequentemente os preços estão em direção a altas históricas. Além disso, a baixa no preço do dólar indica um período áureo para a expansão de empresas metalúrgicas brasileiras.

Petrobras

PETR4: commodities se valorizam com o dólar?

O índice DXY, que correlaciona o preço da moeda americana com o real, está em 90,75 pontos. O valor se mostra relativamente baixo quando comparado ao pico de 102,82 pontos acusado pelo índice em março.

Quanto mais baixo o valor indicado, mais favoráveis se mostram as economias de países emergentes, como o Brasil, por exemplo. Em convergência com tal lógica, as commodities se valorizam com a retração da moeda americana. Basicamente as exportações brasileiras giram em torno das commodities

Na sexta-feira, 4, o preço do minério de ferro atingiu US$ 145,01 por tonelada, seu maior valor desde março de 2013, período em que o superciclo das commodities entrou em declínio. O resultado de agora impulsionou o Ibovespa aos 114 mil pontos, nível semelhante aos que eram registrados antes da pandemia.

https://youtu.be/fOFcuYaUkZs

Carteiras recomendadas incluem Vale (VALE3) e Petrobras (PETR3 e PETR4)

Inclusa na carteira recomendada de dezembro de grande parte das corretoras de valores, a Vale (VALE3)-0,16% demonstrou o potencial de valorização do minério de ferro. Só no 4° trimestre deste ano, a empresa teve lucro líquido de US$ 771 milhões, uma alta de 47% em relação ao mesmo período no ano passado. Com a retomada econômica, o barril do petróleo deve ir na mesma direção, o que deve beneficiar a Petrobras (PETR4 — 0,90% e PETR3).

Segundo um levantamento conduzido pela Conferência das Nações Unidas sobre Comércio e Desenvolvimento (UNCTAD), as commodities representam 6,5% do PIB nacional. Além disso, a pesquisa revelou que o grupo de ativos corresponde a aproximadamente 60% de nossas exportações. Isso explica parte do cerne brasileiro, que depende fortemente das ondas do mercado para se beneficiar.

Novo coronavírus (covid-19) e auxílio emergencial em 2021?

Um dos grandes impulsionadores para a retomada global foi a injeção de dinheiro através dos Bancos Centrais, principalmente Estados Unidos e União Européia. No Brasil, não foi diferente com o auxílio emergencial, o que não deve ocorrer novamente em 2021.

Na bolsa de valores, apesar da queda gradual no preço do dólar e otimismo geral do mercado, nos vemos em um impasse que definirá o futuro do Ibovespa. Se por um lado existe um otimismo global pela chegada vacina contra o novo coronavírus (covid-19), por outro, o número de casos no Brasil está perto do recorde, hospitais estão novamente.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: