Crise de energia: descubra até onde vai parar o preço da conta de luz no Brasil

Especialistas propõem medidas de médio e longo prazos para diminuir os problemas gerados pela crise de energia no país

De acordo com alguns especialistas, o custo da energia elétrica só tende a aumentar em 2022. Isso porque, com a nova bandeira tarifária anunciada pela Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), a conta chegou ao valor de R$ 14,20 por 100 kWh.

Vale lembrar que a conta de energia, que já estava cara, tem sofrido aumentos progressivos, uma vez que pagava-se R$ 6,24 em junho deste ano. A alternativa que resta para o cidadão é economizar, já que não há previsões nem expectativas de diminuição da tarifa no curto prazo.

Dessa forma, a pergunta que fica é: onde vai parar o preço da conta no Brasil?

Medições e taxas

Para compreender melhor os motivos da alta, é importante saber qual a composição da tarifa. Basicamente, cerca de 53,5% são para custos como: compra de energia, transmissão e encargos setoriais. Enquanto isso, 29,5% são destinados aos tributos (ICMS, PIS e Cofins). Por fim, os outros 17% vem dos custos gerados pela distribuição de energia.

Além de todos esses custos que são repassados aos consumidores, hoje, devido a estiagem e falta de chuvas, existem taxas extras para incentivar a economia de energia, pois há grandes riscos de ser necessário um racionamento.

“Uma maneira de baixar o preço seria uma intervenção do governo, como já ocorreu no passado, que segurava os aumentos e os assumia como déficit. Mas no modelo atual, essa intervenção é muito difícil. É uma questão de oferta e demanda. Ao entrarem as termelétricas com energia cara e suja, entra a bandeira vermelha, o preço sobe e a diferença é repassada para os consumidores”, afirma o advogado Alessandro Azzoni, especialista em Direito Ambiental e Economista. 

Crise de energia: descubra até onde vai parar o preço da conta de luz no Brasil
Crise na energia afeta as contas

E a privatização da Eletrobras? Não ajudou?

A resposta é não. A privatização da companhia também entra como fator para a conta ter aumentado. Isso porque a Eletrobras, maior geradora da América Latina, é responsável por um terço da energia em todo o Brasil.

A expectativa do governo é que o preço diminua em até 7,3% com a gestão privada. Contudo, entidades do setor dizem que os “jabutis” incluídos pelos congressistas vão aumentar o valor.

O preço não vai parar de subir

A alternativa, para o cidadão, é economizar, já que a curto prazo não há o que fazer para diminuir o preço.

Entretanto, no que diz respeito ao governo federal, é necessário que o mesmo conduza a crise, mas acima de tudo, trabalhe para que isso não aconteça novamente.

Para isso, é importante investir na construção e interligação ao sistema elétrico de mais usinas eólicas e fotovoltaicas, que produzem energia limpa e mais barata. Assim, o governo poderia diminuir a conta de luz em momentos de forte estiagem, por exemplo.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais