Coincidência? Bitcoin (BTC) bate valor histórico após aprovação do primeiro ETF nos Estados Unidos

Diretor de research da Mercurius Crypto, Orlando Telles, aponta que a recente aprovação traz mais segurança jurídica para o investidor

Esta semana, o mercado de criptomoedas viu seu primeiro ETF (Exchange Traded Fund) entrar em operação nos Estados Unidos. A conquista, considerada um marco histórico, foi comemorada por representar sinais de amadurecimento e institucionalização no mercado.

Dessa forma, na opinião de Orlando Telles, diretor de research da Mercurius Crypto, casa de pesquisa em criptoativos, esse novo instrumento de investimento, disponível para os investidores norte-americanos, também representa uma possibilidade de alta no valor do Bitcoin.

Vale lembrar que, um dia depois, a criptomoeda mais famosa do mundo chegou a bater US$ 65 mil, tendo seu maior valor histórico e uma valorização de 100% no ano.

Veja como o ETF norte-americano de Bitcoin pode impactar no valor da criptomoeda mais famosa do mundo e o que se pode esperar para o mercado de criptoativos nos próximos meses:

Influência ou coincidência?

Para analisar essa história é necessário conhecê-la. Isso porque, desde 2013, o mercado de criptomoedas buscava aprovar o seu primeiro ETF nos Estados Unidos. Entretanto, por ser um meio relativamente novo e com pouco volume, não foi permitido.

Já em 2017, a comissão de valores mobiliários norte-americana (SEC) bateu o martelo de que não seria viável a aprovação de um ETF enquanto não existisse um volume estável no mercado de criptomoedas, medidas contra a manipulação de preços do ativo e um formato de custódias reguladas e terceirizadas.

Dessa forma, a aprovação do ETF agora pode significar que na visão do principal órgão regulador do mundo, esse mercado está amadurecendo.

Coincidência? Primeiro ETF de Bitcoin (BTC) é aprovado nos EUA e BTC bate valor histórico de US$ 65 mil
Ilustração primeiro ETF Bitcoin

Destrava de capital

De acordo com uma pesquisa feita pelo Fidelity Digital Asset este ano, cerca de 33% dos investidores institucionais norte-americanos investem em criptomoedas. Ainda de acordo com o levantamento, outros 67% permanecem de fora desse mercado por medo da instabilidade, assim como temem as incertezas regulatórias.

Portanto, na visão de Telles, o ETF possibilita a entrada de um grande volume do mercado tradicional, que antes temia as formas existentes de acesso a este setor. Dessa forma, o analista acredita que as criptomoedas podem valorizar com esse marco histórico, atingindo máximas jamais vistas.

Importância não só histórica

Em suma, é importante ter em mente que este ETF, além de histórico, também tem um poder de construir segurança jurídica para o investidor. Além disso, gerar mais conforto em aspectos de liquidez e acessibilidade.

“Esse tipo de produto, normalmente muito utilizado por investidores institucionais, ganha destaque quando estes desejam se expor a um determinado ativo possuindo grande liquidez e facilidade para alterar suas posições”, explica o especialista.

“Com o ETF atrelado ao Bitcoin, o fato é que o mercado de criptoativos deu mais um passo rumo a se tornar mainstream”, finaliza.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais