6 livros que vão ajudar o investidor a entender tudo sobre startups e a estratégia Corporate Venture

Executivo do Grupo Fcamara recomenda títulos aos interessados em desenvolver uma estratégia inicial de atuação com startups

O crescimento de startups e o grande interesse das pessoas em se inserir nesse mercado está cada vez maior. Segundo um levantamento, 75% das empresas mais valiosas do mundo integram de alguma forma com startups.

No entanto, este número é bastante inferior no Brasil, o que requer urgência para inovar e se preparar para atuar com as startups em conjunto, independente se for uma parceria, aquisição, investimento ou desenvolvimento de negócios. 

A propósito, este plano estratégico que busca se relacionar diretamente com o mercado de startups é chamado de Corporate Venture.

Isto posto, João Gabriel Chebante, especialista em Corporate Venture do Grupo FCamara, consultoria de soluções tecnológicas e transformação digital, selecionou 6 livros que vão ajudar os interessados a dar seus primeiros passos para compreender e desenvolver uma estratégia inicial de atuação com startups. 

1 – O Estilo Startup, de Eric Ries

Em resumo, o autor aborda multinacionais que anseiam uma transformação para cruzar um curso sobre sua capacidade de inovar, como a Amazon, AirBnb e Amazon. No livro, são abordados uma série de novos termos, o “lean startup”.

Além disso, contextualiza a metodologia da atuação de startups, “faça por menos, teste sempre, falhe rápido”. Desta forma, a obra apresenta os conceitos de gestão de negócios de forte crescimento e agilidade para grandes corporações.

“Ao ler este livro você compreenderá o desafio de mudança cultural e de comportamento para tal atuação. Bem como, boas dicas para os primeiros passos”, destaca João Gabriel.

2 – Do sonho à realização em 4 passos, de Steve Blank

A propósito, Steve Blank foi professor de Eric Ries, em Stanford. Com anos de estudos, elaborou um método de desenvolvimento e validação de novos negócios, chamado de Customer Development.

“Termos como Mininum Viable Product (MVP) e Product¨Market Fit nascem do bê-a-bá desta densa obra, mas incrível e fundamental para compreender a forma que startups testam, validam e escalam novos projetos”, explica João. 

3 – Fora de Série (coletânea)

Neste livro, é possível compreender a influência das startups nas organizações e como elas funcionam Com isso, ele ensina a maneira de pensar e trajetória dos principais empreendedores do mercado de startups no país.

Ilustração Startups

4 – Você é o que você faz, de Ben Horowitz

Em suma, esta obra foi escrita por um dos capitalistas de risco mais bem-sucedidos dos Estados Unidos, contando histórias inéditas e nada convencionais, carregando referências para desenvolver uma cultura consistente e que suporte ambientes de forte crescimento e competição.

“Certa vez um VC de sucesso me disse que sua grande preocupação, ao assinar um acordo que coloca milhões para investimento de uma startup. É que o crescimento, principalmente no que tange a pessoas, possa levar a uma quebra da cultura ali presente e torne a empresa inoperante, ou fora de foco”, compartilha João Gabriel.

5 – Blitzscalling, de Reid Hoffman

Em uma startup, ou até mesmo em grandes rodadas de investimentos, tudo gira em torno do crescimento da empresa. Sendo assim, estas procuram uma maneira de crescer rapidamente e com menos recursos.

“Entre tantas obras que dissecam as melhores práticas, o livro do fundador do Linkedin e investidor em série consolida algumas das melhores práticas para repensar a forma de gerar crescimento ao seu negócio. Bem como avaliar startups neste sentido”.

6 – Finanças para Startups, de Bruna Louzada

Por fim, tem este livro de finanças que analisa financeiramente uma startup, pontuando o que a difere de uma empresa tradicional. 

 Ainda que os princípios contábeis sejam os menos, no entanto, o valor da empresa envolve uma outra abordagem, considerando o crescimento x lucro, queima de caixa, rodadas de investimento e participações dos sócios.

“O livro da Bruna traz luz a este tema e pode ajudar demais executivos que precisam mudar a forma de analisar negócios”. finaliza João.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais