O BTG Pactual divulgou sua carteira recomendada de ações para janeiro. O banco de investimentos traz em seu portfólio os seguintes ativos: Vale (VALE3), Petrobras (PETR4), Itaú (ITUB4), Gerdau (GGBR4), B3 (B3SA3), Totvs (TOTS3), Aliansce Sonae (ALSO3), Suzano (SUZB3), Cyrela (CYRE3), e Oi (OIBR3).

BTG (BPAC11) registra queda de 4% no lucro do 2TRI
BTG (BPAC11) registra queda de 4% no lucro do 2TRI

O que vem pela frente no novo ano

Para o BTG, o aumento do apetite pelo risco dos mercados globais pode ser a principal força motriz para as ações dos mercados emergentes em 2021. Perspectivas encorajadoras para a economia global, com vacinação em andamento, taxas de juros baixas recorde em todo o mundo e estímulos adicionais nos EUA devem manter o apetite pelo risco relativamente níveis altos.

“Nos últimos dois meses, tivemos um vislumbre do que o aumento do interesse nos mercados emergentes pode significar para as ações locais. As entradas em ações brasileiras por investidores estrangeiros atingiram R$ 33 bilhões apenas em novembro e outros R$ 18 bilhões até 28 de dezembro. E mesmo depois de todo esse fluxo de entrada, os fundos Globais e GEM (Globais de Mercados Emergentes) ainda têm apenas uma pequena fração de seus recursos alocados em Brasil”, disse.

BTG divulga carteira recomendada de ações para janeiro e destaca aumento do apetite do investidor

Valuation

O relatório encaminhado ao mercado é assinado pelos analistas Carlos Sequeira, Osni Carfi e Ricardo Cavalieri.

Para eles, do ponto de vista de valuation, ainda há potencial de valorização, visto que o Ibovespa ex-Petrobras e Vale está sendo negociado a 15,2x P/L 2021E, um desvio padrão acima de sua média histórica. No entanto, após a recente queda nas taxas de juros reais de longo prazo (de 4,1% no final de novembro para 3,4%), o prêmio para manter ações, medido como o inverso do P/L menos as taxas de juros reais de 10 anos, está quase um desvio padrão acima da média.

“Embora os atuais valuations possam inicialmente sinalizar um baixo potencial de valorização para o Ibovespa, se as taxas de juros reais de longo prazo caírem para 3% (o nível visto antes da pandemia), o Ibovespa poderia ser negociado a ~139 mil pontos, oferecendo um potencial de valorização de 16%”, destacaram.

Lucro ex-Petrobras e Vale

Ainda segundo eles, o lucro ex-Petrobras e Vale  deve crescer 16% em 2021 vs. 2019. Isso porque, disseram, as empresas brasileiras listadas estão se beneficiando da recuperação econômica melhor do que se esperava.

“No terceiro trimestre de 2020, os lucros dessas empresas surpreenderam positivamente e agora estamos modelando para que seus lucros, exPetrobras e Vale, cresçam 16% em 2021 vs. 2019. Grande parte do crescimento esperado vem de exportadores de commodities. Mas mesmo olhando apenas para as empresas que basicamente vendem no mercado interno, os lucros ainda devem crescer 5% em 2021 vs. 2019”, informaram.

E complementaram: “Esse crescimento seria ainda maior se não fosse pelos bancos, que representam cerca de 40% dos lucros domésticos consolidados e, de acordo com nossas estimativas, reportarão lucros 2% menores do que em 2019.”

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: