O ReitBZ, token com lastro em imóveis emitido pelo BTG Pactual, anuncia o segundo pagamento de dividendos a investidores, no valor de US$ 124.683,41 mil. Trata-se da segunda vez que o ReitBZ distribui lucro desde que foi criado, em 2019. Em julho de 2020, pagou dividendos pela primeira vez, no valor de US$ 87.569,20 mil. As duas rodadas somam agora mais de US$ 212.252,61 mil em dividendos pagos aos investidores.

O ReitBZ é o primeiro criptoativo do mundo a distribuir lucros da carteira para os investidores, com o pagamento via smartcontract, usando a tecnologia de blockchain, iniciativa pioneira no mercado financeiro global. Os smartcontracts têm auditoria de segurança feita pela Chain Security (para o blockchain do Ethereum) e pela Least Authority (para o blockchain do Tezos).

“O mercado de criptoativos teve um grande desenvolvimento no ano de 2020 e este momento não é apenas a consolidação do investimento, mas também reforça o nosso entendimento de que essa tecnologia pode ter um impacto enorme no futuro do mercado de capitais”, afirma André Portilho, sócio do BTG e responsável pelo projeto.

Tokens

Lançado em fevereiro de 2019 e com emissão dos tokens três meses depois, o ReitBZ investe em uma carteira de imóveis recuperados gerida pela Enforce, empresa do Grupo BTG Pactual especializada na recuperação de créditos corporativos.

À época do lançamento, a empresa arrecadou cerca de US$ 9 milhões com a oferta inicial do token, em que interessados puderam investir com pagamentos em ether (ETH) e gemini dollars (GUSD). Em maio de 2020, o ReitBZ passou a ser emitido na plataforma de blockchain do Tezos.

Pioneiro no Brasil e no mundo, o ReitBZ foi a primeira iniciativa do tipo a ser realizada por uma grande instituição financeira da América Latina e também o primeiro do setor bancário no mundo.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: