5 dicas para montar uma carteira de investimentos do zero

Uma das primeiras dúvidas do investidor iniciante é como montar uma carteira de investimentos do zero de forma fácil. Esta tarefa pode parecer complexa no início, mas qualquer um consegue fazê-la com a ajuda de algumas dicas essenciais.

5 dicas para montar uma carteira de investimentos do zero

O que é uma carteira de investimentos?

Ao fazer qualquer tipo de aplicação no mercado financeiro, o investidor automaticamente está montando sua própria carteira de investimentos. De modo geral, é o conjunto de investimentos escolhidos por alguém.

Também chamado de portfólio ou cesta de ativos, as pessoas utilizam bastante este termo para revelar quais são as suas estratégias e objetivos financeiros.

Perfil do investidor

Antes de selecionar a composição da carteira, é muito importante saber sobre o perfil do investidor. Com isso, a pessoa pode descobrir o quanto está disposta a correr riscos nos investimentos.

Normalmente, a classificação se divide em três tipos. Os investidores mais conservadores, por exemplo, preferem não entrar na renda variável e ver o valor do seu patrimônio oscilar.

Por outro lado, os moderados possuem um pouco mais de convicção, mas ao mesmo tempo não largam mão da Renda Fixa. Já o perfil agressivo, visa a rentabilidade acima de tudo, mesmo que isso traga mais riscos.

Ciclo de vida e objetivos

Traçar objetivos e metas é uma das coisas mais importantes quando se é investidor, principalmente na hora de montar uma carteira. Todo mundo possui um “status financeiro”, definido por alguma fase da vida.

Quando mais jovens, as pessoas têm como objetivo acumular dinheiro e bens materiais. Neste caso, é possível arriscar nos investimentos de renda variável, que rendem ou se desvalorizam quase que de imediato.

No entanto, conforme a intenção vai para rentabilização e preservação do patrimônio, como acontece na fase adulta, a segurança vem antes mesmo do lucro.

Prazo do investimento

Com os objetivos definidos, o investidor deve analisar a liquidez de todos ativos presentes na carteira. Ou seja, quanto tempo é necessário para que esses investimentos sejam convertidos em caixa (valor em conta).

Por exemplo, se a meta for conseguir renda em um curto período, investimentos em Renda Fixa não são a melhor opção, pois sua liquidez geralmente atua em um período de no mínimo 2 anos. No entanto, as ações podem ser vendidas e negociadas a qualquer hora.

Diversificação da carteira

Em um jogo de futebol, o treinador nunca deve confiar em apenas um jogador, mas sim no time todo. Assim como nas partidas, no mercado financeiro não é aconselhável apostar todo o dinheiro em apenas uma aplicação.

Independente do perfil do investidor, o ideal é planejar uma carteira bem diversificada, com investimentos em renda fixa, variável e ligados ao dólar. A diferença está em quanto de cada ativo, em porcentagem, terá ao todo.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais