Financista do Canal 1Bilhão,  Fabrizio Gueratto, investidor a quase 15 anos, abriu sua carteira de investimentos. E contou publicamente quais ações aproveitou para comprar meio a crise do novo coronavírus

Com a crise instaurada tanto na saúde como também no mercado financeiro, causada pelo novo coronavírus (covid-19). Portanto, não só a bolsa de valores brasileira, como também, por exemplo, as bolsas mundiais, com isso, passaram por derretimentos.

Com isso, o Ibovespa, principal índice da bolsa de valores do Brasil, se encontrou com queda que gira em torno dos 30%. Além de 6 circuit breakers seguidos.

Por outro lado, a crise, não afeta somente a renda variável, da mesma forma que chegou rapidamente no câmbio também. O dólar, por exemplo, a moeda mais forte do mundo, ultrapassou os R$ 5,20, sendo este o maior valor desde a criação do real. 

Com isso, muitas ações acabaram por sofrer uma grande e alta desvalorização, com seus valores cada vez mais baixos.

Isso pode acabar por ser uma grande oportunidade para investidores, onde é possível comprar excelentes papéis por valores mais baixos.

Mas, para outros, isso pode resultar em desespero, ao ver parte do patrimônio derreter junto ao Ibovespa. 

Pensando nisso, o Financista do Canal 1Bilhão,  Fabrizio Gueratto, investidor a quase 15 anos, abriu sua carteira de investimentos. E contou publicamente quais ações aproveitou para comprar meio a crise do novo coronavírus.

Gueratto alerta também sobre o preço das ações e o que é necessário olhar antes de aportar. Principalmente em um cenário incerto como esse que estamos vivenciamos atualmente.

Confira agora quais as 4 ações o Financista aproveitou os baixos valores para adquirir: 

BTG Pactual (BPAC11)

O banco de investimentos brasileiros, que comanda também o BTG Digital, foi a primeira compra realizada por Gueratto.

O BTG atua nos mercados de investment banking, wealth management e global asset management na América. Atualmente, o BTG é controlado por uma sociedade que contém mais de 150 executivos, que resultou da aquisição da UBS Pactual pela BTG Investments. 

IRB Brasil RE (IRBR3)

Foi a segunda compra em baixa do Financista. Antes, Fabrizio já continha parte de seu patrimônio alocado na empresa.

A IRB Brasil RE é líder de resseguros na América Latina. Está entre as 10 maiores resseguradoras do mundo. Com valor de mercado, equivalente a R$ 28 bilhões. Sendo também líder em 9 das 11 linha de negócio em que atua. 

WEG S.A (WEGE3)

Sendo essa uma empresa multinacional brasileira. Especializada em produção de máquina elétricas, componentes elétricos, produtos para automação industrial, transformadores de força e distribuição. Além disso, tintas líquidas e em pó. E por fim, vernizes eletroisolantes. 

Petrobras (PETR4)

Foi a última compra do Financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira. A Petrobras por muitas vezes é a empresa de capital aberto mais indicada pelos analistas. Tem como principal acionista o Governo Federal do Brasil. 

“Portanto, é importante também ressaltar que essas empresas estão sim baratas e podem ser uma boa alternativa de compra.  Mas, não porque elas estão com o preço lá embaixo, que isso não pode cair ainda mais”, alerta Gueratto.

Mesmo estando com um valor considerado barato, ainda pode ficar mais. E do jeito que situação econômica está incerta, isso não seria algo muito difícil ou distante. 

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: