Nos últimos meses a empresa de capital aberto IRB Brasil esteve envolvida em uma série de escândalos que vão desde contestação dos financeiros até mesmo uma mentira por parte da própria empresa ao afirmar que o mega investidor Warren Buffet estaria triplicando seus investimentos na empresa. Todos estes fatos fizeram com que as ações despencassem mais de 50%.

Investindo:

O Financista Fabrizio Gueratto explica porque investiu agora nas ações de IRBR3.

1) Fundamentos:

A IRB Brasil recomprou mais de 7 milhões de ações ordinárias com um investimento total de R$ 246 milhões realizadas durante 3 pregões. Mesmo para uma empresa bilionária, tirar dinheiro do caixa e investir uma quantia significativa demonstra compromisso com os investidores. Estão colocando ainda mais a pele no jogo (skin the game). Além disso, apesar das desconfianças em relação ao balanço, a empresa não deixou de ter bons fundamentos. Continua na lista das 10 maiores resseguradoras do mundo. É crescente a sua distribuição de dividendos. Em 2019 esteve entre as 30 maiores pagadoras de dividendos da B3 logo atrás da Petrobras.

2) Preço:

Uma ação barata ou cara é relativo. Uma ação pode ter caído muito, por exemplo, por estar em um setor em que a competitividade aumentou significativamente e as margens de lucro caíram, como por exemplo o segmento de cartão de crédito. No caso da IRB (IRBR3) foi um problema pontual, de contestação dos números apresentados pela gestora Squadra e informação falsa de que o Warren Buffet estaria triplicando a sua posição na empresa. O preço caiu por uma crise confiança e não porque o setor ou a empresa em si estão afundando. Portanto, neste caso, podemos dizer que o preço está barato, o que não garante que não possa cair mais.

3) Pós crise:

Todas as vezes que uma empresa passa por uma grande crise, principalmente companhias de capital aberto, obrigatoriamente elas precisam fazer grandes mudanças. Novos executivos são contratados, a governança fica mais rígida e os grandes investidores e auditorias olham mais de perto. Foi exatamente o que aconteceu com a Petrobras depois da operação lava-jato e o que está acontecendo agora com a IRB Brasil.

4) Recomendação de compra:

Apesar de algumas corretoras, como Guide e Rico retirarem a recomendação de compra para IRB3, por não confiarem mais na empresa, a maioria das casas de análises e bancos não retiraram a recomendação de suas carteiras. Principalmente pelo fato de que os principais acionistas são o Bradesco Seguros e Itaú Unibanco.

5) Monopólio/Líder de mercado:

A empresa fundada em 1939 teve monopólio do mercado até 2007, quando por meio da lei complementar 126 acabou a exclusividade e abriu o mercado. Mesmo assim a IRB Brasil continua líder isolada de mercado e cresceu o seu share de 31% em 2014 para 37% em 2019. É uma empresa que soube se reinventar e aproveitar os recursos do IPO mesmo após ter perdido o seu monopólio no mercado brasileiro. Um setor que deve impulsionar ainda mais o crescimento é o agronegócio. O governo federal aumentou o subsídio para compra de seguro rural de R$ 371 milhões em 2019 para R$ 1 bilhão em 2020. O seguro indenizar o produtor caso ocorra uma queda nos preços ou problemas climáticos.

https://youtu.be/B9xwaJATURA

Leia também: “5 LIÇÕES DO CIRCUIT BREAKER por causa do CORONAVÍRUS”.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: