Antes de conceder um empréstimo ou aceitar um cliente, as instituições financeiras como Banco Inter, Nubank, Banco Neon entre outros, consultam os órgãos de proteção ao crédito, como SPC, Serasa e o chamado SCORE. SCORE é como um currículo de bom pagador de cada CPF. É uma pontuação que vai de 0 a 1.000. Quanto mais pontos uma pessoa possui, mais boa pagadora ela é e mais um banco ou uma fintech pode confiar nela para fornecer um empréstimo ou autorizar a abertura de uma conta, por exemplo. Ninguém sabe exatamente como esta pontuação é feita e qual o peso de cada item nesta pontuação. Por exemplo, uma pessoa pegou um empréstimo de R$ 1 mil e pagou em dia todas as parcelas. Isso é muito bom porque ela honrou seus compromissos ou não é tão bom assim porque mostra que ela precisou contrair uma dívida? Ninguém sabe ao certo como funciona. Porém, existem dicas que podem fazer o SCORE melhorar e muito. O Financista Fabrizio Gueratto, do Canal 1Bilhão Educação Financeira montou de forma prática 7 dicas que as pessoas podem começar a colocar em prática já e elevar os seus números.

1 – O primeiro passo para uma pessoa saber se seu SCORE é bom ou não e consultar o site do SERASA. Sim, qualquer pessoa pode consultar o portal e é de graça. Basta fazer um cadastro bem rápido e na mesma hora a pessoa consegue ver como está o seu currículo financeiro. Existem 4 níveis principais. Se uma pessoa tem uma pontuação de 0 a 200 significa que ela tem grande risco de não pagar. De 201 a 500 é um médio risco. De 501 a 700 é um risco baixo e de 700 a 1.000 um risco baixíssimo. Claro que toda instituição financeira quer fazer negócio com um bom pagador.

2 – Faça um espelho financeiro, ou seja, veja todas as dívidas que possui, gastos fixos, o quanto entra de dinheiro e renegocie as dívidas. Peça para parcelar se não tiver o dinheiro à vista. Assim que a pessoa pagar a primeira parcela destas dívidas automaticamente o nome dela sai da lista de nome sujo e seu SCORE melhora. Claro que se não pagar a segunda parcela o nome voltará para a lista negra do SERASA.

3 – Coloque todas as contas que puder no seu CPF. Principalmente água, luz, telefone e tv a cabo. Isso mostra o seu relacionamento com estas empresas e que, caso precisem, sabem aonde conseguem encontrar a pessoa, como em uma eventual ação judicial.

4 – Pague as contas em dia. Nem sempre as pessoas atrasam as contas porque não tem dinheiro. Muitas vezes o descuido faz com que as contas sempre sejam pagas com atraso e isso computa no SCORE e diminui a nota. Ficar atento e pagar antes do vencimento é o ideal. Deixar para a última hora é um péssimo hábito

5 – Coloque as contas no débito automático. Existe uma lenda de que se a conta está no débito automático as empresas aproveitam para colocar na conta gastos a mais que não existem. Porém, isso não tem nenhum tipo de comprovação. Claro que não é porque está em débito automático que não precisa ser conferida. Além disso, se a concessionária de luz, por exemplo, colocar R$ 1,00 a mais na conta, não terá como ninguém saber, seja a conta estando em débito automático ou não.

6 – Faça um cadastro no SERASA, SPC e BOA VISTA e mantenha este cadastro atualizado. Sempre que mudar de endereço ou telefone atualize no site deles. Isso mostra que a pessoa não está querendo se esconder para fugir das dívidas e de seus credores. Revela transparência. Caso tenha algum problema todos saberão aonde encontrar.

7 – Peça sempre o CPF na nota fiscal. Embora o Serasa não confirme que isso ajuda, muitas pessoas que colocam o CPF na nota fiscal viram seu SCORE aumentar. Isso porque os órgãos de proteção ao crédito ficam sabendo que aquela pessoa é economicamente ativa e está comprando. Se a pessoa compra em dinheiro vivo e não coloca o CPF, não tem como ninguém saber o que ela comprou e quanto pagou e isso é ruim para quem quer aumentar a sua nota de crédito.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: