A Solatio Energia Livre, que leva energia limpa e mais barata a quase 100% das cidades mineiras, conta com um investimento de R$ 1 bilhão para que os clientes consigam ter uma economia substancial na conta de luz.

A empresa nasceu da Joint Venture entre a espanhola Solatio, há 20 anos no mercado e maior desenvolvedora de projetos solares da América Latina, com a mineira CMU.

Com cerca de 900 hectares só em painéis solares e um potencial energético de 780.300 MWh/ano, a Solatio Energia Livre tem projetada a capacidade para abastecer mais de 162 mil casas e pontos comerciais.

Isso significa a redução da emissão de quase 5 mil toneladas de CO2 na atmosfera a cada mês.

Para se ter ideia, sem a geração de energia limpa da companhia, seria necessário o plantio de quase 35 mil árvores para compensar essa redução.

Solatio investe mais de R$ 1 bi em energia solar distribuída em MG

Até 2023

CEO da Solatio Energia Livre e da CMU Energia, Walter Fróes disse que cerca de R$ 21 bilhões serão investidos, até 2023, em usinas fotovoltaicas no Estado.

Desse total, R$ 1 bilhão estão destinados à geração distribuída, para atendimento a residências e pequenos estabelecimentos comerciais, e os outros R$ 20 bilhões a usinas de grande porte, para fornecimento de energia a distribuidoras e consumidores de grande porte, como indústrias e shopping centers.

“Diversas cidades mineiras serão contempladas com a instalação das usinas, dentre elas Mirabela, Paracatu, Pirapora, Janaúba e Manga”, frisou.

Ele acrescenta que há grandes projetos em curso, como as usinas de Uberlândia, São Sebastião do Paraíso, Patos de Minas, Três Corações, Varginha entre outras cidades, que irão injetar energia limpa e mais barata para consumidores de praticamente todo o estado de Minas Gerais.

Geração distribuída

De acordo com dados da Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica (Absolar), o ranking nacional de geração distribuída é liderado por Minas Gerais, seguido por Rio Grande do Sul, São Paulo e Mato Grosso.

Minas tem potencial instalado de 173,9 MW, o que representa 18,9% de participação na produção nacional.

Além da alta incidência de radiação solar no estado, o que contribui de forma positiva para a liderança de geração renovável é a legislação estadual.

Minas Gerais possui os melhores incentivos tributários para a geração distribuída no país. O Estado também concede isenção de ICMS na aquisição de qualquer equipamento, peça ou parte dos sistemas fotovoltaicos de micro e minigeração, quando adquirido dentro de Minas Gerais.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: