Os principais acionistas do C6 Bank injetaram R$ 525 milhões em capital novo no banco, fornecendo combustível para o crescimento em empréstimos após iniciar uma parceria com a TIM Participações no mês passado.

Depois da aprovação do Banco Central para o novo aporte vindo dos acionistas, o C6 vai operar com R$ 1,24 bilhão em capital.

Segundo a Reuters, com a chegada dos novos recursos, o C6 planeja oferecer mais crédito para consumidores e pequenas empresas, além de investir em sua plataforma online e na aquisição de clientes.

O fato relevante foi divulgado nesta quinta-feira (13).

C6: crescer com parceria

O banco, que encerrou julho com 2,5 milhões de clientes, espera crescer mais rápido após a parceria com a TIM.

O C6 e a TIM anunciaram a parceria em março, um acordo que pode dar à empresa de telecomunicações uma participação de até 15% no banco, dependendo do número de clientes que se tornarem usuários ativos do C6.

Nas primeiras três semanas de parceria, o C6 conquistou 200 mil clientes TIM. A operadora tem 55 milhões de clientes aos quais o C6 pode oferecer produtos como contas correntes, cartões de crédito e empréstimos para financiar compras de celulares.

C6: TIM

A parceria também permite que o C6 use as lojas da TIM como agências físicas para a venda de serviços.

Marcelo Kalim, ex-sócio do Banco BTG Pactual SA, lançou o C6 em janeiro de 2019. O C6 encerrou março com R$ 2,3 bilhões em ativos, R$ 266 milhões em carteira de crédito e um prejuízo líquido de R$ 109,8 milhões no primeiro trimestre, de acordo com o Banco Central.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: