“Uma boa ideia seria ver as opções que existem não somente nos grandes bancos, mas também em outras instituições financeiras”

Com a Reforma da Previdência sendo discutida no Congresso, é preciso tomar cada vez mais consciência de que o INSS não pode ser a principal fonte de renda para quem está pensando no futuro das finanças. Dessa forma, observar as alternativas de previdência privada passa a ser fundamental para o planejamento financeiro dos brasileiros. Para Daniela Casabona, Sócia-Diretora da FB Wealth, o ideal é se precaver e guardar uma fonte de renda extra para a terceira idade. “O investidor que poupa só um pouco por mês pode optar por uma boa previdência privada”, comentou.

O que fazer?

É preciso começar a pensar cedo, assim como na previdência atual do INSS. “Quando iniciar a vida financeira já se tem que ter consciência de poupar, que sejam R$ 100 ou 10% do salário, no mês, já é uma atitude válida para quem começa a pensar nisto com 18 anos”, explicou Daniela. Mas claro, a diversificação do montante seria a melhor opção para investimentos de longo prazo. “Pensando no futuro o investidor pode começar também a ampliar seus horizontes e usar seus próprios investimentos para viver de renda. E para isso, diversificar sua carteira mirando o longo prazo é o melhor jeito de se ter uma previdência saudável e segura”, explicou.

Para a Sócia-Diretora da FB Wealth, é preciso ainda que aquele que estiver procurando uma previdência privada fique de olho nas taxas para buscar a melhor escolha. “Uma boa ideia seria ver as opções que existem não somente nos grandes bancos, mas também em outras instituições financeiras. É necessário ficar atento a taxas e forma de tributação para não cair em pegadinha. Hoje existem diversas instituições que tem previdências bastante interessantes. Uma boa assessoria financeira pode auxiliar na melhor escolha”, finalizou Daniela Casabona.

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: