Ao analisar as principais opções da renda fixa o investidor pode ficar assustado com a quantidade de ofertas disponíveis. O mercado está disponibilizando cada vez mais opções para atrair mais investidores, então, se faz necessário fazer uma boa pesquisa antes de pensar em qual produto investir: CDB, LCI, LCA, CRI, CRA. Para facilitar a vida do investidor o Financista do Canal 1Bilhão Educação Financeira, Fabrizio Gueratto, indica passo a passo, para descobrir as melhores opções no mercado.

CDB, LCI, LCA, CRI, CRA

A opção mais comum é a dos Certificados de Depósito Bancário ou CDBs, muito práticos, existindo várias opções de boa rentabilidade e com liquidez diária também. Ao comprar um CDB, o que você está fazendo é emprestar dinheiro para o banco a prazo, por isso são investimentos muito seguros, além te possuir garantia do FGC, que protege investimentos em até R$ 250 MIL reais por CPF.

Outra opção do mercado é a Letra de Crédito. As LCs são títulos emitidos por instituições financeiras com o objetivo de financiar o setor imobiliário ou agrícola, por isso são chamadas sempre de LCIs ou LCAs. A grande vantagem desses produtos é que, por serem voltados para áreas estratégicas de investimento, eles possuem isenção de imposto de renda, conseguindo ter rentabilidades um pouco melhores do que os CDBs.

Outra ótima opção são os Certificados de Recebíveis que, assim como as LCs, podem ser imobiliários ou agrícolas. Apesar de investirem nos mesmos setores e todas possuírem isenção de IR, existem algumas diferenças dos CRI/CRA para as LCI/LCA. A primeira diferença são as instituições responsáveis por esses produtos, LCIs e LCAs são emitidas por bancos e financeiras, os CRIs e CRAs são emitidos por securitizadoras.

Isto é, nas LCs são voltadas para investimentos no setor em geral, e as CRA/CRLs são criadas a partir vários investimentos já feitos, tendo estes como garantia. Na prática isso significa que as CRs não têm cobertura do FGC, ao contrário das LCs. Portanto é preciso prestar muita atenção nas notas de crédito das seguradoras. Porém, um fator positivo das CRA/CRLs é que eles têm isenção do IOF, Isenção de Opções Financeiras.

Diferença entre Bancos e Corretoras

Ao ter uma noção mínima daquilo que você está investindo, é preciso partir para estudar a instituição financeira na qual você investe. Afinal esses produtos raramente são negociados diretamente com a pessoa física, você precisa investir através de uma instituição financeira, sendo ela uma corretora de valores ou os tradicionais bancos. Isso vale também para as CRs, que são emitidos por securitizadoras, porém só podem ser negociados com o público no chamado mercado secundário.

A diferença pode parecer pouca, mas você pode acabar vendo seu rendimento secar dependendo da qual você escolher. É simples, os bancos tem uma tendência a priorizar produtos financeiros próprios e, dessa forma, as taxas e rentabilidades dos produtos financeiros citados acima podem acabar sendo menos rentáveis do que em uma corretora, que tem o trabalho voltado justamente para esses produtos.

Não são incomuns casos onde um CDB de um grande banco acaba rendendo menos do que a poupança. Isso não quer dizer que você não deva investir através dos grandes bancos, mas que é preciso ficar de olho nas taxas e comparar o mercado como um todo. O site App Renda Fixa é um ótimo comparador de investimentos, basta selecionar o prazo desejado e ele irá apresentar as melhores opções.

Balanço da instituição

Se você ainda está com o pé atrás na hora de escolher a sua instituição o melhor a fazer é conferir o https://bancodata.com.br/, lá você pode acessar os balanços financeiros de praticamente todas as instituições financeiras do país. De posse de todas essas informações e com confiança na instituição escolhida é preciso analisar agora os prazos em que você pretende investir.

Curto, médio, e longos prazos

Esta parte precisa ser analisada com cuidado. É comum que alguns destes produtos financeiros tenham um tempo mínimo de investimento ou que sejam firmados contratos estipulando um tempo fechado para o investimento. Portanto, é preciso saber quanto do seu patrimônio você quer investido, para não ficar sem recursos nesse meio tempo.

         Existem versões de curto, médio e longo prazo para todos os produtos citados, porém as características de cada um podem indicar o melhor uso para cada produto de acordo com a situação.

O CDB é um dos produtos mais seguros do mercado, afinal, é muito difícil um banco quebrar. Existindo muita oferta de CDBs de liquidez diária e com rendimento razoável eles são produtos ideais para o curto prazo, de no máximo 2, 3 anos e reservas de emergência.

Se você tem planos que estão mais para o médio prazo, isto é, de até 5 anos as LCs podem ser a melhor escolha. Eles não são ideias para reservas de emergência, pois o investimento desse tipo geralmente pressupõe prazos pré-estabelecidos maiores que os do CDB. O retorno também é melhor, já que a isenção do IR permite rentabilidades maiores com taxas DI menores.  

Se você está planejando um investimento de longo prazo, o ideal seria fugir de títulos pós-fixados, pois com o viés de queda da taxa Selic, esse rendimento ficará cada vez menor no futuro. Nesse caso o melhor seria buscar produtos que tem a sua rentabilidade atrelada a inflação, pois dessa forma não haveria como seus ganhos serem corroídos. Outra possibilidade são os títulos pré-fixados, que tem a rentabilidade estipulada, durante toda duração do contrato, já no momento da compra. Tanto os CDBs, quanto LCs e CRs possuem essas modalidades.

Rentabilidade

Agora a parte mais importante. Para ajudar com o planejamento a euipe do 1 Bilhão calculou o rendimento médio de R$ 5 mil reais investidos em 1, 2, 5 e 10 anos nesses produtos, tudo isso baseado na taxa DI atual, padrão para a maioria dos investimentos em renda fixa.

1 ano:

  • CDB 100% CDI – 5 mil
  • R$ 202,95
  • LCI/LCA – 105% CDI – 5 MIL
  • R$ 246,00
  • CRI/CRA – 112% CDI – 5 mil
  • R$ 258,61

2 anos:

  • CDB 100% CDI – 5 mil
  • R$ 426,70
  • LCI/LCA – 105% CDI – 5 MIL
  • R$ 528,39
  • CRI/CRA – 112% CDI – 5 mil
  • R$ 565,53

5 anos:

  • CDB 100% CDI – 5 mil
  • R$ 1.143,29
  • LCI/LCA – 105% CDI – 5 MIL
  • R$ 1.421,08
  • CRI/CRA – 112% CDI – 5 mil
  • R$ 1.529,05

10 anos:

  • CDB 100% CDI – 5 mil
  • R$ 2.596,75
  • LCI/LCA – 100% CDI – 5 MIL
  • R$ 3.249,34
  • CRI/CRA – 112% CDI – 5 mil
  • R$ 3.529,31

Leia também: “RENDA FIXA OU VARIÁVEL? Devo INVESTIR em TESOURO SELIC e CDB ou AÇÕES na B3 e ALASKA BLACK?”

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: