MEI: Veja o passo a passo para se tornar um microempreendedor

Seja por necessidade ou por vontade, muitos profissionais se tornaram microempreendedores durante a pandemia a fim de obter ou melhorar a renda familiar.

De acordo com informações do Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), mais de 620 mil micro e pequenas empresas foram criadas em 2020. Em comparação com 2019, o aumento de aberturas foi de 6%.

Mas apesar da popularização, a abertura de um MEI é um processo que pode causar dúvidas. Pensando nisso, a Academia Ninja, projeto de conteúdos educacionais para prestadores de serviço desenvolvido pelo GetNinjas, convidou o Amadeu Augusto Moraes, contador cadastrado na plataforma, para criar um passo a passo de como abrir um MEI.

1º passo:

Segundo Amadeu, a modalidade MEI é o regime de tributação mais simples do país, mas antes de fazer qualquer cadastro, o profissional deve fazer uma pesquisa prévia sobre a categoria.

“Tal sondagem é importante para que o empreendedor certifique qual a atividade que irá desenvolver e se esta atividade atende às regras do MEI emanadas na Lei Complementar nº 128/2008. Além disso, também é necessário fazer uma consulta prévia junto a prefeitura para conferir a viabilidade de seu endereço e atividade escolhida”, explica o contador.

2º passo:

Todo o cadastro para a abertura do MEI é feito pelo Portal do Empreendedor (http://portaldoempreendedor.gov.br/). Em seguida é necessário clicar em “Empreendedor” e depois na opção “Quero ser MEI”. Por fim é necessário escolher “Formalize-se”.

3º passo:

O profissional será redirecionado para um portal do governo federal. O empreendedor deve preencher o seu CPF e em seguida, será redirecionado para o REDESIM, ambiente para inserção dos dados pessoais.

As informações pessoais requeridas são: CPF, data de Nascimento, nome empresarial, nome do empresário, nacionalidade, sexo, nome da mãe, RG, telefone, e-mail, comprovante de endereço e número do recibo da DIRPF dos dois últimos anos, nome fantasia, capital Social, comprovante de endereço da empresa e da residência.

4º passo:

Em seguida, o profissional precisa cadastrar sua atividade principal e as secundárias. Amadeu reforça que o empreendedor deve se atentar, pois só é permitida uma atividade principal e, no máximo, 15 atividades secundárias.

A seguir, é necessário detalhar o endereço comercial e as formas de atuação. Após tais etapas e sua respectiva confirmação o MEI do indivíduo estará criado e o CNPJ será emitido junto com o certificado de MEI (CCMEI) ao final do cadastro. É recomendável que tal certificado seja impresso.

Esses e outros assuntos relacionados a empreendedorismo destinado para profissionais autônomos estão disponíveis para profissionais cadastrados na Academia Ninja.

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais