Vale (VALE3) registra novo acidente; saiba como esses episódios afetam as ações da mineradora

Trinta e nove trabalhadores ficaram presos dentro da mina da Vale no Canadá após um acidente nos elevadores

No último domingo (26), a Vale (VALE3) foi protagonista de mais um acidente. Isso porque a mineradora já foi responsável por desastres históricos em relação a desmoronamento de barragens que mataram centenas de pessoas. 

Dessa vez, o acidente envolveu o soterramento de 39 funcionários a 1200 metros, mas não resultou em mortes. Eles foram retirados na manhã desta segunda-feira (28).

A situação aconteceu na mina que produz níquel em Sudbury, em Ontário (Canadá). Além disso, as causas do acidente vinham de um problema com o elevador que levava e trazia os funcionários.

O desfecho dessa história aconteceu da melhor forma possível, mesmo assim, as ações da Vale, que já sofriam devido a crises vindas da China, voltaram a cair.

Portanto, entenda como esses acidentes que envolvem a maior mineradora do país afetam seus investimentos.

Danos imediatos

Mesmo após o resgate dos funcionários, os resquícios na imagem da mineradora não foram positivos. Isso porque a Vale tem um histórico traumático quando o assunto são acidentes. 

Os desastres nas barragens das cidades de Brumadinho e Mariana, em Minas Gerais, matou centenas de pessoas e colocou a empresa na parede. Uma vez que as causas dos acidentes surgiram por erros humanos. Esses episódios comoveram o país e levaram as ações da empresa a despencar.

Dessa vez, o cenário foi mais ameno. Mesmo assim, os ativos da mineradora caíram 3,22% chegando ao valor de R$ 76,26, ainda mais distante do ideal estipulado pelo mercado que seria algo em torno dos R$ 100.

Vale (VALE3) adiciona mais um acidente ao seu histórico, dessa vez no Canadá; veja como esse episódios afetam as ações da mineradora
Minerador da Vale

Ainda vale a pena investir na Vale?

Nesses momentos de baixa, ou de crise, antes de abandonar o barco, é necessário avaliar se dentro do cenário ainda tem alguma oportunidade futura. 

Isso porque a mineradora passa por um momento delicado. A possibilidade de agravamento da crise chinesa, bem como o calote da Evergrande, ameaça o preço das commodities que prejudica o desempenho da Vale. 

Entretanto, a antiga estatal já se mostrou resiliente às adversidades enfrentadas em seus quase 80 anos de existência. É importante lembrar que um ano após o acidente de Brumadinho, a Vale conseguiu se recuperar totalmente. A companhia chegou a valer o dobro do que valia antes do acidente. 

Do mesmo modo, vale ressaltar que a empresa está listada como uma das companhias que mais pagam dividendos no país. Portanto, manter a estratégia é manter um olhar a longo prazo é essencial nesses momentos de crise.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais