A fabricantes de armas Taurus (TASA4) assinou acordo com a fabricante do setor automotivo Joalmi para uma joint venture de fabricação de carregadores e outros componentes de armas leves para o Brasil e o exterior.

Em fato relevante, a Taurus afirmou que o negócio a tornará autossuficiente na produção de carregadores, mercado atualmente dominado por poucos fornecedores estrangeiros, além de reduzir custos de produção.

BTG reduz participação na Taurus

Previsão

A previsão é de que a joint venture comece a produção já em 2020, na Joalmi, em Guarulhos (SP), sendo transferida em 2021 para fábrica da Taurus, em São Leopoldo (RS).

Segundo a Taurus, a joint venture terá uma capacidade instalada de 7,4 milhões de carregadores por ano até o fim de 2022 e sua ampliação pode ser antecipada.

Presidente

Para o presidente da Taurus, Salesio Nuhs, o negócio está alinhado com a estratégia de tornar a unidade do Brasil “a mais eficiente fábrica de armas no mercado mundial e um hub de distribuição de peças a todas unidades do grupo”, promovendo a entrada da Taurus no mercado de reposição.

A companhia disse que ela sozinha demanda 5 milhões de carregadores por ano, considerando as fábricas do Brasil e dos Estados Unidos.

A Taurus terá 51% da joint venture, com os 49% sendo detidos pela Joalmi, que é conhecida por fabricar peças estampadas para segurança automotiva e produtos para modelos de montadoras como Jeep, Peugeot, Citroen, Hyundai, VW, Ford, Volvo e Renault.

Venda de fuzis

A companhia assinou contrato com a Brigada Militar do Rio Grande do Sul para fornecer 799 fuzis modelo T4 calibre 5.56.

A aquisição, realizada através de licitação, prevê a entrega dos armamentos até o início do mês de novembro.

“Os novos armamentos significam um importante incremento para a força de segurança pública do Estado no combate à criminalidade, por serem armas de alto poder de fogo e desempenho. O fuzil T4 já integra o arsenal da instituição, sendo empregado inclusive nas forças de elite da Brigada Militar”, informou a Taurus.

Veja TASA4 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: