Qual a diferença entre Títulos Imobiliários e Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs)?

Os dois investimentos estão ligados ao mercado imobiliário, mas sua rentabilidade é calculada de maneira diferente

Para manter uma carteira de sucesso, como investidor, é fundamental fazer uma boa diversificação. Assim como, saber como investir tanto em Títulos Imobiliários como Fundos Imobiliários.

Logo, para compreender cada um deles e identificar a melhor opção para o seu perfil como investidor, é preciso estudar. Afinal, essas aplicações são uma boa opção para os investidores que desejam se expor no mercado imobiliário.

Desta forma, os Títulos Imobiliários são uma alternativa para investidores que desejam aplicar em renda fixa no setor. Em contrapartida, a opção de Fundos de Investimentos (FIIs) se encaixa com um perfil mais arrojado, tendo em vista a oscilação e volatilidade do mercado.

O que são Títulos Imobiliários?

Em resumo, os Títulos Imobiliários são aplicações de renda fixa. Logo, são emitidos através de agências financeiras ou de forma terceirizada. Assim, viabilizam as instituições a adquirirem crédito para empreendimentos ou financiarem projetos de empresas do setor.

Dentre as opções de investimentos em Títulos Imobiliários, existe a Letra de Crédito Imobiliário (LCI) e o Certificado de Recebíveis Imobiliários (CRI). Os dois possuem isenção de imposto de renda.

Letra de Crédito Imobiliário

Desse modo, a LCI é uma renda fixa realizada por bancos, destinados ao financiamento de projetos de empresas do setor. Assim, ao comprar este título, o investidor estaria emprestando dinheiro ao banco. 

Em seguida, a instituição financeira repassa os investimentos para as empresas. No entanto, eles não são tributados do Imposto de Renda, algo que atrai os investidores em relação aos outros títulos.

Certificado de Recebíveis Imobiliários

Os CRI são títulos com ênfase em créditos imobiliários como, por exemplo, as parcelas de financiamentos. Na compra do Certificado de Recebíveis, o investidor adquire, na verdade, um fluxo de pagamento futuro.

Portanto, as empresas securitizadoras emitem estes papéis, que englobam os financiamentos de um empreendimento. Ou seja, elas vendem o crédito futuro ao investidor, depois, repassam o valor para a incorporadora.

Qual a diferença entre Títulos Imobiliários e Fundos de Investimento Imobiliário (FIIs)?
Ilustração mercado imobiliário

O que são Fundo de Investimentos Imobiliários (FIIs)?

Em suma, os Fundos Imobiliários são formados por aplicações acessíveis para investidores que possuem cadastro em qualquer corretora de valores. Logo, são investimentos de renda variável.

Desse modo, cada investidor que adquirir cotas de FIIs pode receber uma parcela da rentabilidade chamada de dividendos. O valor é proporcional ao número de cotas que o investidor possui.

Sendo assim, os ativos que integram essa modalidade são os Shopping Centers e Hotéis, Condomínios residenciais, Edifícios comerciais e Lajes Corporativas, Universidades e Hospitais e Galpões logísticos e Industriais.

A propósito, caso o valor do fundo seja usado para a comprar um imóvel que abrirá negócios no local, com demanda de aluguéis, 95% dos recursos recebidos serão passados aos investidores.

Diferença entre os investimentos

Posto isso, as negociações de cotas de FIIs acontecem na Bolsa de Valores (B3), este investimento possui uma variação maior no valor.

Desta forma, em virtude dos fundos estarem ligados à valorização dos empreendimentos, o potencial de rentabilidade também pode ser maior que a dos Títulos Imobiliários.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais