Por que as ações do Banco Inter (BIDI11) tiveram o pior desempenho da Bolsa em setembro?

Segundo especialistas, a queda das ações do banco digital pode ter relação direta com as incertezas de sua rentabilidade

Anteriormente, o Banco Inter (BIDI11) estava entre as ações mais queridinhas da Bolsa de Valores brasileira. No entanto, desde que entrou no Ibovespa, em setembro, seus papéis enfrentam uma maré negativa, com uma queda de mais de 30%.

Sendo assim, os investidores ficam em dúvida sobre a sustentabilidade do crescimento da empresa em relação à concorrência, levando em conta o preço pago por isso.

Isto posto, o que de fato aconteceu com as ações do Banco Inter, a ex-queridinha do mercado financeiro?

O que aconteceu com as ações do Inter?

De acordo com especialistas do mercado, a queda das ações do banco digital pode ter relação direta com as incertezas de sua rentabilidade e com a criação de um suposto provisionamento extraordinário.

Este cenário estaria relacionado também às especulações de que a instituição financeira teria previsto perdas grandiosas no balanço do 3º trimestre. Efetivamente, a fintech poderia reverter a situação anteriormente.

Para a Inside Research, outro fator que contribuiu para a queda foi a fusão entre o Inter e a Stone. Posto que, logo após o anúncio, os investidores consideraram que a inserção do banco digital com as maquininhas não seria uma boa ideia.

Afinal, o segmento de maquininha possui um baixo potencial, com grandes concorrentes consolidadas, tal como a Cielo. Além disso, a negociação entre as empresas aconteceu ao mesmo tempo que a Stone enfrentou um prejuízo de R$ 400 milhões com uma operação de crédito recém-lançada.

Embora o balanço prévio operacional do 3º trimestre tenha sido divulgado com bons resultados aos investidores, a opinião de compra desse ativo entre os analistas segue dividida.

Por que as ações do Banco Inter (BIDI11) tiveram o pior desempenho da Bolsa em setembro?
Ações do Banco Inter na Bolsa de Valores

Expectativas do Inter

Apesar de que o futuro da instituição financeira esteja recheado de receios e inseguranças, há analistas e investidores otimistas com os papéis do Inter.

Em setembro, o Bank of America recomendou a compra dos papéis do Inter, com preço-alvo de R$ 80 por unit até o fim de 2022. Ou seja, dado equivalente a um crescimento de mais de 80%. De acordo com Bank of America, a fintech está em uma boa posição para se solidificar no crescimento de ganhos nos próximos anos.

Por outro lado, o Citi, alterou sua recomendação das ações do Inter, de venda para neutra. No entanto, destacou que não está com uma visão otimista sobre o potencial de crescimento da fintech.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais