Para impulsionar privatização da Eletrobras (ELET6), Bolsonaro cria nova estatal

A nova estatal ficará responsável pelas usinas hidroelétricas Eletronuclear e Itaipu Binacional

Na noite deste domingo (12), o presidente Jair Bolsonaro assinou um decreto que consiste na criação de uma nova estatal, a Empresa Brasileira de Participações em Energia Nuclear e Binacional (ENBpar). O objetivo é prosseguir com os planos de privatização da maior empresa elétrica da América Latina, a Eletrobras (ELET6).

Desse modo, a nova estatal pública ficará responsável pelas usinas hidroelétricas Eletronuclear e Itaipu Binacional. Além disso, após a privatização da Eletrobras, ela seguirá sob a União. 

Criação da nova estatal 

De acordo com documento, a organização da nova estatal ficará sob comando de sociedade anônima e associada ao Ministério de Minas e Energias (MME) para seguir com a privatização. O custo da operação e a quantidade de cargos na estatal ainda não foram divulgados pelo governo.

Logo, a criação da Empresa Brasileira de Participações em Energia Nuclear e Binacional está prevista na Medida Provisória. A mesma foi aprovada pelo Congresso que viabiliza a privatização da Eletrobras. 

Portanto, a legislação determina que os serviços da estatal fiquem sob comando da União, diretamente ou indiretamente. Tais como as empresas, instalações e as participações detidas ou gerenciadas pela usina Eletronuclear e pela Itaipu.

Desde o início do governo Jair Bolsonaro, esta é a segunda estatal criada pelo presidente. A primeira estatal nasceu em dezembro do ano passado. A NAV Brasil Serviços de Navegação Aérea é responsável pelo controle do espaço aéreo brasileiro.

Privatização da Eletrobras (reprodução: Salve a Energia)

Sob comando da nova estatal

Em resumo, os ativos que não farão parte da privatização da Eletrobras (usinas hidroelétricas Eletronuclear e Itaipu Binacional) ficarão sob comando da nova estatal criada pelo presidente.

Uma vez que o principal objetivo da criação da nova estatal é manter a manutenção sob o controle da União do projeto de usinas nucleares. Assim como, a titularidade do capital social e compra dos serviços de eletricidade da usina hidrelétrica de Itaipu.

Além disso, a administração da conta corrente do Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel) e o controle dos contratos de comercialização da energia gerado pelo Programa de Incentivo às Fontes Alternativas de Energia Elétrica (Proinfa). Sendo assim, ficarão sob responsabilidade da nova estatal.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais