O GPA (PCAR3) anunciou nesta quinta-feira (5) que venceu processo no qual pedia exclusão do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) da base de cálculo do PIS e da Cofins.

“Com o trânsito em julgado da decisão, a companhia teve reconhecido o direito de reaver, mediante compensação dos valores já recebidos, o valor de aproximadamente R$ 1,2 bilhão”, afirmou o GPA.

A companhia explicou que para aproveitar o crédito, o valor tem que ser validado pela Receita Federal. Depois disso, o GPA prevê monetizar os créditos em até cinco anos.

GPA (PCAR3): lucro 20% menor no 2º tri afetado por operações descontinuadas

Melhora operacional

Grupo Pão de Açúcar (GPA) apresentou nesta quarta-feira (28) um lucro líquido dos acionistas controladores de R$ 386 milhões – alta de 151% na comparação anual. O mercado projetava a cifra a R$ 253 milhões.

O resultado reflete em parte o forte crescimento das operações no Brasil e no exterior, com a receita bruta consolidada atingindo R$ 23,5 bilhões, de acordo com informações divulgadas pela empresa.

De acordo com a companhia, o Ebitda ajustado consolidado foi de R$ 1,7 bilhão, +29,7% na visão proforma, com margem de 7,8% (+0,8 p.p.). Houve evolução da rentabilidade em todos os negócios.

Os destaques da empresa incluem ainda o GPA Alimentar Brasil, que apresentou faturamento de R$ 17,5 bilhões, crescimento de 20,0%, sendo 14,8% no conceito ‘mesmas lojas’ excluindo postos e drogarias.

Ainda segundo o GPA, o Assaí apresentou faturamento de R$ 10,1 bilhões, incremento de R$ 2,5 bilhões contra o ano anterior. No conceito ‘mesmas lojas’ o crescimento foi de 18,1%, maior evolução observada desde o final de 2016.

Já o Multivarejo a cifra chegou a R$ 7,4 bilhões, crescimento de 10,4% no critério ‘mesmas lojas’ excluindo postos e drogarias. As vendas online de alimentos seguiram com evolução expressiva de 240% vs 3T19 e já representam 6% das vendas do Multivarejo e 12,4% da bandeira Pão de Açúcar.

No segundo trimestre, o Grupo Éxito teve faturamento de R$ 6,0 bilhões, avanço proforma de 23,7% nas vendas totais e de 2,3% no critério ‘mesmas lojas’ excluindo postos e em moeda constante.

Veja PCAR3 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: