A companhia aérea Azul anunciou nesta quinta-feira que seu tráfego de passageiros consolidado aumentou 41% em relação a setembro, refletindo a gradual flexibilização do isolamento social imposto após a pandemia.

Porém, a demanda por assentos em voos da companhia no mês passado ainda foi 45,2% menor do que em outubro de 2019, para 1,46 milhão de passageiros.

A recuperação sequencial foi quase toda doméstica, já que limitações para voos internacionais na Europa e nos Estados Unidos fez com as operações da Azul com o exterior em outubro fossem 80,3% menores do que no mesmo período do ano passado.

A oferta total de voos da Azul cresceu 42,6% na comparação sequencial, mas ainda foi 41,8% contra um ano antes. A taxa de ocupação das aeronaves foi de 79,3% em outubro, queda de 0,9 ponto percentual ante setembro e de 4,9 pontos ano a ano.

Mais cedo nesta quinta-feira, a rival Gol havia reportado alta de 34% na demanda por assentos em outubro na base sequencial, mas queda de 41,1% ano a ano.

Azul estende recuperação em agosto, mas tráfego ainda cai quase 70% a.a

AZUL4: tempos difíceis

A Bloomberg apontou que os próximos anos poderão ser difíceis para oito companhias aéreas em todo o mundo. Duas delas estão no Brasil, Azul e GOL.

De acordo com a agência, o método utilizado, Z-score, foi desenvolvido por Edward Altman durante os anos 60. O método avalia sobre as chances de empresas entrarem em recuperação judicial e/ou falência.

Isso porque, caso a empresa tenha um resultado abaixo de -1,8, o risco de entrar em recuperação judicial e/ou falência seria em dois anos a partir de quando o estudo foi realizado. A Aeromexico, foi uma das companhias latinoamericans que pediu acesso ao Chapter 11 nos Estados Unidos, processo semelhante ao de recuperação judicial no Brasil.

Entretanto, apesar da lista da Bloomberg, os últimos reportes para investidores de ambas companhias brasileiras, apontam para melhoras no setor. Com acordos bem-sucedidos com seus funcionários e stakeholders (principalmente empresas de leasing de aeronaves), tanto Azul e GOL mostraram boa recuperação devido a crise provocada pela pandemia.

A Azul, em 30 de setembro, antecipou que para o terceiro trimestre, há uma expectativa de um resultado de caixa melhor do que esperado. Totalizando R$2,3 bilhões, contra os R$2,25 bi do trimestre anterior. O resultado do terceiro trimestre será divulgado no próximo dia 16.

Já a GOL, a última atualização para os investidores aconteceu no dia 9 de outubro. De acordo com a companhia aérea, encerrou o mês de setembro com um caixa de aproximadamente R$2,2 bilhões com uma geração de caixa de R$1 milhão por dia. Sendo ainda, a única companhia na América Latina a devolver capital aos seus investidores em 2020. Nesta quarta-feira (04), a GOL divulgará os seus resultados financeiros finais referentes ao terceiro trimestre.

Devido estarem próximas ao lançamento dos resultados, Azul e GOL não deram nenhuma posição a respeito para a Bloomberg.

Veja AZUL4 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: