A Appian Capital Advisory LLP, consultora de investimentos para fundos de capital privado focados em valor de longo prazo que investem exclusivamente em mineração e empresas relacionadas à mineração, anunciou o fechamento de seu segundo fundo.

O Fundo II teve excesso de demanda e atingiu seu limite máximo de US$ 775 milhões, após forte apoio de investidores Tier 1 atuais e novos em todo o mundo.

Com este excesso de demanda, o total sob gestão do fundo foi elevado para mais de US﹩ 1,2 bilhão. O forte interesse dos investidores em um fundo deste cunho vem como reflexo da demanda por ativos tangíveis e exposição a commodities ambientais.

O Brasil tem foco significativo, com base nos investimentos da Appian na Atlantic Nickel e na Mineração Vale Verde, que fornece exposição a cobre e níquel e outros metais básicos e industriais, além de um hedge para metais preciosos. A maioria da arrecadação do fundo foi concluída remotamente, por conta da pandemia da COVID-19.

Investimento em mineração no Brasil deve atingir US$40 bi em até 5 anos, diz Ibram

Recursos globais de sourcing

Já foram implementados 40% usando recursos globais de sourcing e execução de classe mundial da Appian, incluindo em ativos brasileiros. O fundo se baseia no histórico da empresa de geração de altos retornos ajustados ao risco, identificando, adquirindo e desenvolvendo metais subvalorizados e ativos de mineração.

A equipe da empresa aumentou para 37 os profissionais de investimento localizados em Londres, Toronto, Lima, Belo Horizonte e Sydney, supervisionando quase 5.000 funcionários em todo o portfólio.

Foco nas principais commodities de crescimento

O Fundo II seguirá a mesma estratégia adotada para o Fundo I da Appian, com foco em investimentos em metais e ativos de mineração. A Appian visa ativos de médio porte, priorizando a lucratividade em vez da escala para gerar o máximo de retorno. O Fundo II está bem posicionado para se beneficiar das tendências demográficas, do crescimento econômico e da ação contra as mudanças climáticas.

Isso inclui commodities usadas em baterias, veículos elétricos e sistemas de energia renovável, incluindo cobre e níquel. A empresa também fará investimentos em metais preciosos como um hedge de portfólio potencial.

Base global

O Fundo II investirá em uma base global, com foco no Brasil, para aproveitar os benefícios da geologia do país, o apoio do governo e o sistema legal robusto, liderado pela equipe da Appian em Belo Horizonte, com o suporte de mais de 2000 funcionários no país. Outros países no radar incluem Austrália, México, Peru, Chile e Canadá, onde a Appian mantém operações.

O Fundo II já está 40% implementado ou reservado para cinco investimentos, mostrando as capacidades de fornecimento e execução global da Appian, que incluem um investimento de capital na mina de cobre-ouro Serrote da Mineração Vale Verde (“MVV”) em Alagoas, e um investimento de royalties no ativo de níquel-cobre-cobalto de Santa Rita da Atlantic Nickel na Bahia, Brasil. Além disso, o Fundo II fez um investimento de capital no projeto de areias minerais Fingerboards da Kalbar Operations da Austrália (atualmente em fase de desenvolvimento) e investimentos em royalties e crédito na mina de produção da Harte Gold na mina Sugar Zone em Ontário, Canadá.

Além disso, o Fundo II tem capital disponível significativo para buscar outras oportunidades de coinvestimento.

Experiência financeira e operacional para gerar retornos

A Appian tem uma estratégia única que oferece retornos extraordinários no setor de mineração e limita o risco de queda. Como fornecedora especializada de capital privado, ela adota princípios de investimento em valor de longo prazo em um setor cíclico, que permanece altamente disciplinado, com foco em ativos de alta margem e baixo custo e uma base de recursos de alta qualidade, onde há potencial para agregar valor.

A experiência técnica e de investimento interna exclusiva da Appian permite identificar oportunidades subvalorizadas no setor. A equipe financeira tem experiência em bancos de investimento e organizações líderes de capital privado, com movimentações que ultrapassam US$ 200 bilhões em transações de mineração.

A equipe técnica é composta por profissionais de grandes empresas de mineração que iniciaram a produção de mais de 60 minas. Isso permite aplicar a sofisticação técnica de uma grande mineradora em operações menores, reduzindo os custos de desenvolvimento e operação e antecipando a produção para aumentar os retornos.

A forte cultura de responsabilidade da Appian permite que a empresa mantenha os mais altos padrões ambientais, sociais e de governança em todas as operações e investimentos. Além disso, a Appian criou uma Fundação de Caridade para apoiar as regiões onde mantém suas operações. A Appian tem um Conselho Consultivo competente, composto por importantes profissionais dos setores de mineração, financeiro e comercial.

Trajetória sólida

Após o sucesso do Fundo I e os investimentos já realizados do Fundo II, o portfólio da Appian se tornou bem diversificado. A empresa investe em equity, crédito e royalties em toda a estrutura de capital e, principalmente, onde suas equipes técnicas e financeiras líderes do setor podem ajudar as equipes de gestão a criar valor.

A Appian alcançou sucesso significativo no Brasil, iniciando a produção da mina Santa Rita da Atlantic Nickel, posicionada no primeiro quartil da curva de custo e vida útil de 34 anos da mina, além de ter completado a primeira explosão em Serrote, com construção e obras de engenharia progredindo conforme o planejado e início programado para o segundo semestre de 2021.

  • Só clique aqui se você já for investidor
Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: