Fundos têm captação líquida positiva de R$40,7 bi entre 1º e 10 de fevereiro

Os fundos de investimento tiveram captação líquida positiva de R$ 40,7 bilhões entre os dias 1º e 10 de fevereiro, segundo dados da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais). Esse número é a diferença entre os R$ 291,2 bilhões de aportes e R$ 250,5 bilhões de resgates no período.

Entre os dias 4 e 10 de fevereiro, a indústria teve captação líquida positiva de R$ 24 bilhões. Quase todas as classes tiveram saldo positivo – a exceção foram os fundos de previdência com resgates líquidos de R$ 1 bilhão.

Mercado de crédito brasileiro realizou R$3,7 tri em operações de crédito em 2020

Os fundos

Os fundos de renda fixa tiveram captação líquida positiva de R$ 18,2 bilhões, mas o desempenho foi influenciado por aporte de R$ 15,5 bilhões em um único fundo.

Na sequência, estão os multimercados com R$ 3,8 bilhões (movimento concentrado por conta de aporte de R$ 4 bilhões); os fundos de ações com R$ 1,8 bilhões; os FIDCs com R$ 862,9 milhões (aporte concentrado de R$ 1,2 bilhão); os FIPs com R$ 265,6 milhões (aporte de R$ 200 milhões de um único fundo); e os ETFs com R$ 140,1 milhões.

Desde 1º de janeiro, a indústria acumula captação líquida positiva de R$ 34,7 bilhões e patrimônio líquido de R$ 6,1 trilhões.

Anbima

Representa mais de 270 instituições de diversos segmentos. Dentre seus associados, estão bancos comerciais, múltiplos e de investimento, asset managements, corretoras, distribuidoras de valores mobiliários e consultores de investimento.

Janeiro

Os fundos de investimento tiveram saídas líquidas de R$ 16,9 bilhões em janeiro. Segundo dados da Anbima (Associação Brasileira das Entidades dos Mercados Financeiro e de Capitais), o volume representa recuo de 194% na comparação com o mesmo período de 2020.

O resultado negativo foi influenciado pelas retiradas de R$ 40,5 bilhões, no final de janeiro, na classe de ações. Houve resgates concentrados em um único fundo no valor de R$ 42,1 bilhões, ou seja, o movimento não representa uma saída de recursos generalizada. Os multimercados também fecharam janeiro com resgates líquidos no total de R$ 4,5 bilhões, sendo R$ 3 bilhões sacados de um único fundo.

“A indústria de fundos tem demonstrado um desempenho positivo em 2021, com alguns impactos de movimentos pontuais de mercado. Quando olhamos as trajetórias dos fundos de ações e multimercados, percebemos que, atualmente, essas classes são as mais resilientes do setor”, afirma Pedro Rudge, diretor da ANBIMA.

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais