O presidente do Superior Tribunal de Justiça (STJ), ministro Humberto Martins, suspendeu uma liminar que paralisava parte das obras do Sistema de Transmissão Gralha Azul, da Engie Brasil Energia (EGIE3), informou a empresa em comunicado ao mercado nesta quinta-feira (10).

Segundo a Reuters, a suspensão da liminar ocorreu por meio do deferimento de pedidos apresentados pela União e pelo Estado do Paraná, na quarta-feira, e de um pedido da própria Engie nesta quinta.

Engie (EGIE3) fecha acordo de investimento com Itaú por projeto Novo Estado
Engie (EGIE3) fecha acordo de investimento com Itaú por projeto Novo Estado

EGIE3: o projeto

O projeto de Gralha Azul tem sido implementado pela Engie desde 2019 e mira o abastecimento de energia elétrica no centro-sul do Paraná. O sistema inclui 15 linhas de transmissão, com cerca de mil quilômetros de extensão, que interligarão dez subestações, segundo a companhia.

Parte das obras de Gralha Azul haviam sido suspensas por uma liminar, após ação judicial que alegou que a implementação das linhas causaria dano ambiental por exigir a derrubada de araucárias no Paraná.

Novembro

Em novembro, a companhia sinalizou que buscaria reverter a liminar, afirmando que o impacto ambiental é baixo e que a empresa fará o replantio de araucária. Na ocasião, também indicou que o empreendimento seguia dentro do prazo.

A empresa

A Engie, anteriormente GDF SUEZ S.A. é um grupo empresarial francês, o segundo maior do mundo no ramo de energia, segundo a Global 500 2010 da revista Fortune. Atua na geração e distribuição de eletricidade, gás natural e energia renovável.

3º tri

O lucro líquido da Engie (EGIE3) ficou em R$ 490 milhões no terceiro trimestre de 2020, queda de 34% ante os R$ 742 milhões do ano passado, mostra documento enviado ao mercado nesta quinta-feira (5). De acordo com a empresa, o aumento de R$ 303,2 milhões das despesas financeiras líquida afetaram os números.

Veja EGIE3 na Bolsa:

https://youtu.be/w_B42Di3moU
Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: