A Eneva (ENEV3) é uma empresa brasileira integrada de energia que atua nos setores de geração, exploração e produção de petróleo e gás natural e comercialização de energia elétrica. Sob o nome de MPX Energia, entrou em operação em outubro de 2007 e sua oferta pública inicial foi realizada em 14 de dezembro de 2007.

Ontem à noite a companhia divulgou relatório anual de reservas certificadas, mostrando expansão em 2020 nas bacias do Parnaíba e do Amazonas.

Conforme o documento, as reservas de gás na bacia do Parnaíba, onde estão concentrados os principais ativos da companhia, registraram 25,9 bilhões de m³ no ano (contra 24 bilhões de m³ em 2019). Já as reservas na Bacia do Amazonas cresceram de 3,6 bilhões de m³ em 2019 para 5,8 bilhões de m³ em 2020.

Eneva (ENEV3) aprova emissão de debêntures no valor de R$ 835 mi
Eneva (ENEV3) aprova emissão de debêntures no valor de R$ 835 mi

BTG Pactual

Após conferir o relatório, o BTG Pactual (BPAC11) se mostrou otimista quanto aos números da companhia.

Para o banco de investimentos, eles são bastante positivos, principalmente por conta do crescimento das reservas na Bacia do Amazonas, que podem destravar valor por meio das vendas de gás.

Para o analista João Pimentel, os 2,2 bilhões de m³ adicionais das reservas de gás na Bacia do Amazonas poderiam ser usados pela Eneva para negociar contratos no mercado livre, por meio de gás natural liquefeito, com a cidade de Manaus ou qualquer comprador em potencial.

Em relatório, o BTG pressupõe que caso a Eneva consiga vender o gás por um preço próximo a US$ 10 por milhão de unidades térmicas britânicas, a transação pode gerar um VPL (valor presente líquido) incremental de quase R$ 1,38 bilhão, o que adicionaria cerca de R$ 4,40/ação ao preço-alvo indicado pelo banco, atualmente de R$ 55.

Veja ENEV3 na Bolsa:

  • Só clique aqui se já for investidor
Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: