Eletromidia (ELMD3) adquire 74,65% da Otima por R$ 416,7 milhões e ações da empresa sobem

Depois da efetivação da compra, as ações da empresa subiram mais de 3% na Bolsa de Valores

A Eletromidia (ELMD3) anunciou, nesta segunda-feira (26), a compra de cerca de 74,65% da Otima, dona dos direitos de exploração dos painéis anexos aos pontos de ônibus em São Paulo. Após a notícia, as ações da empresa apresentavam ganhos de 3,4%, negociadas a R$ 22,66.

A compra foi realizada por meio da subsidiária Publibanca Brasil e custou R$ 416,7 milhões. Desse valor total, R$ 356,95 milhões vão ser quitados à vista. No entanto, R$ 59,8 milhões ficarão parcelados, pagos à prazo.

“A aquisição da Otima é complementar à presença da Eletromidia no setor vertical de ruas e inaugura sua entrada no segmento de mobiliário urbano na cidade de São Paulo, principal mercado anunciante do país. Além disso, foram mapeadas oportunidades de sinergias operacionais e administrativas, assim como potencial otimização da força comercial das duas companhias”, afirmou a Eletromidia.

E os outros 25,35% da Otima?

Os outros 25,35% da Otima permanecem com a RuasInvest Participações, empresa que já era acionista da empresa. Portanto, as partes do Grupo Bandeirantes de Comunicação e da Kalitera agora são da Eletromidia.

A Otima já possuía projetos para entrar na mobilidade urbana no Rio de Janeiro, Belo Horizonte e Salvador, assim como fez em São Paulo. 

Essa é a primeira aquisição da Eletromidia desde que estreou na B3, em fevereiro de 2021, com a abertura de seu IPO. Na época, a companhia arrecadou cerca de R$ 700 milhões de caixa. Desde então, as ações ON (ELMD3) subiram em 23%.

Eletromidia (ELMD3) adquire 74,65% da Otima por R$ 416,7 milhões e ações da empresa sobem
Painel de anúncios metro da Eletromidia

Resquícios da pandemia

A Eletromidia também sofreu bastante com a pandemia. Isso porque, devido a ter menos pessoas circulando, os preços cobrados pela empresa por espaços publicitários caiu bastante. 

Por isso, a receita bruta chegou a somar R$ 70,3 milhões. Isso foi o equivalente a uma queda de 42,6%, em comparação ao primeiro trimestre de 2020, época em que a Covid-19 ainda não tinha provocado restrições mais duas. Portanto, o prejuízo líquido ficou em R$ 16,3 milhões.

Em suma, a compra da Otima pode representar a Eletromidia um avanço, uma vez que agora ela obtém  a comunicação vertical e de mobilidade urbana. A empresa aposta na retomada da economia para voltar a expandir as receitas com os painéis publicitários.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais