Desemprego atinge 14,8 milhões de pessoas no Brasil e governo estuda legalizar trabalhos por aplicativos

Surpreendendo as expectativas, a taxa chegou a 14,6% no trimestre encerrado em maio

Nesta sexta-feira (30), o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou a taxa de desemprego do país. Surpreendendo as expectativas, o número chegou a 14,6% no trimestre encerrado em maio de 2021.

Esse valor é o maior apresentado desde 2017, somando 14,8 milhões de pessoas desocupadas. Nem no início da pandemia, o desemprego alcançou níveis tão altos. Em maio de 2020, a porcentagem foi de 12,9%.

Os dados fazem parte da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad) iniciada em 2012. De acordo com o Instituto Geográfico, os índices só não foram maiores devido aos trabalhos por contra própria, que cresceram bastante nesse período.

1,3 milhão de carteiras assinadas a menos

Comparando esse trimestre com o mesmo período do ano passado, o trabalho com carteira assinada no setor privado caiu em 4,2%, o equivalente a 1,3 milhão de trabalhadores a menos.

Em contrapartida, os empregados no setor privado sem carteira assinada aumentaram em 6,4%. Isso é igual a 586 mil pessoas a mais trabalhando desta maneira.

Em suma, de acordo com o IBGE, dentre os empregadores, aqueles que possuem CNPJ registraram o menor nível da série. Além disso, as categorias de trabalhadores domésticos e empregados no setor público ficaram estáveis nas duas bases de comparação (trimestral e anual).

Desemprego atinge 14,8 milhões de pessoas no Brasil e governo estuda legalizar trabalhos por aplicativos
Reprodução carteira de trabalho

Legalização de trabalhos por aplicativo

O governo informou que tem como pauta a discussão sobre a regulamentação de trabalhos por aplicativo.

O secretário executivo do Ministério do Trabalho e Previdência, Bruno Bianco, recentemente participou de um evento sobre o tema, promovido pelo Conselho de Relações do Trabalho (Cert) da Fecomércio-SP.

De acordo com Bianco, é importante assegurar a formalização dessas pessoas, mas sem impor um empecilho legal que possa “amarrar” à atividade das plataformas, inviabilizando o trabalho.

O serviço por aplicativo se tornou uma espécie de solução rápida para o desemprego durante a pandemia. Dessa forma, algumas empresas do setor se mobilizaram para defender a regulamentação da profissão.

Em suma, o objetivo é ter um seguro sobre os direitos desses trabalhadores, como aposentadoria, além de ganhos mínimos sem tirar a flexibilidade e a autonomia do modelo de trabalho.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais