Um leilão realizado pela elétrica Copel (CPLE6) na bolsa B3 para a venda de sua unidade de telecomunicações nesta segunda-feira (9) atraiu disputa, com quatro interessados, sendo que o fundo de investimentos Bordeaux apresentou a maior oferta, de R$ 2,395 bilhões.

A proposta do fundo, bem superior ao preço mínimo de R$ 1,4 bilhão definido para a Copel Telecom, superou em disputa viva-voz a da rival Algar Soluções, que chegou a fazer um lance de R$ 2,385 bilhões.

Além de Bordeaux e da Algar, a Copel Telecom ainda recebeu ofertas de dois grupos no certame, um deles com participação do banco BTG Pactual.

Copel (CPLE6) marca para novembro leilão da telecom com preço-alvo em R$ 1,4 bi

BTG

Em relatório divulgado nesta segunda-feira, os analistas Carolina Carneiro e Rafael Nagano destacam que a companhia conseguiu reduzir custos, melhorar a alocação de capital e entregar medidas pró-mercado. “De qualquer forma, vemos esses pontos positivos já precificados nos preços atuais”, afirmam. A informação é do Valor Pró.

O BTG Pactual ressalta que a Copel Telecom é a maior operadora de fibra ótica do Paraná, com participação de mercado de 22%. O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) anual da companhia é de cerca de R$ 200 milhões, com dívida líquida de R$ 300 milhões.

Considerando o múltiplo de 10 vezes o valor da companhia sobre o Ebitda, o BTG estima que o valor do ativo pode chegar a R$ 1,8 bilhão, cerca de 10% do valor de mercado da Copel.

A recomendação do BTG Pactual para os papéis da Copel é de venda, com preço-alvo de R$ 70, o que representa potencial de alta de 0,7% ante a cotação registrada há pouco.

Veja CPLE6 na Bolsa:

Compartilhe

Categorias do artigo

  • Relacionados: