Investidores brasileiros nunca apostaram tanto no exterior quanto agora; entenda

Os investimentos somaram R$ 61,6 bilhões entre janeiro e agosto de 2021, uma alta de 44% em relação ao ano passado

O dinheiro dos brasileiros está indo cada vez mais para fora do país. Isso porque, de acordo com o Banco Central (BC), os investimentos no exterior somaram R$ 61,6 bilhões entre janeiro e agosto de 2021, uma alta de 44% em relação ao ano passado.

De acordo com o BC, os motivos da procura por aplicações no exterior tem diversos motivos, como a instabilidade política e sensação de insegurança. Tais motivos se sobressaíram tanto que nem mesmo a alta do dólar foi capaz de amenizar a situação.

“Investir no exterior deixou, há muito tempo, de ser uma proteção cambial. Agora, é uma diversificação”, afirmou Rogério Pessoa, responsável pela área de gestão de fortunas do BTG Pactual (BPAC11).

Entenda o motivo do aumento

De acordo com Pessoa, apesar do mercado brasileiro de investimentos ter se modernizado e aumentado cada vez mais, ainda há uma possibilidade maior de produtos para investir em países como os EUA.

Dessa forma, aos clientes que possuem mais de R$ 10 milhões investidos, o BTG recomenda aplicar cerca de 30% do patrimônio no exterior. Atualmente, a média para esse público está entre 15% e 20%.

Além disso, bancos tradicionais, como o Itaú Unibanco, têm aproximadamente 27% do patrimônio de seus clientes aplicados fora do Brasil. “Nos últimos dez anos, o mercado internacional teve um desempenho bem melhor do que o daqui”, afirma Felipe Nabuco, diretor do Itaú Private Bank.

Brasileiros nunca investiram tanto no exterior quanto agora; entenda porquê
Ilustração investimentos exterior

Opções de investimentos no exterior

Nos dias atuais, existem algumas formas de investir no exterior sem ter que trocar o real pelo dólar ou sair do país. No entanto, é importante saber como funciona cada aplicação.

BDRs

Os Brazilian Depositary Receipts (BDRs) nada mais são do que certificados de ações emitidos por outros países como, por exemplo, os Estados Unidos ou China. Contudo, mesmo sendo ações de outras bolsas, é possível negociar esses ativos na Bolsa de Valores brasileira (B3).

ETFs

Outra maneira de investir no exterior é através de ETFs, ou simplesmente fundos de índice. Na prática, vários investidores, como em uma espécie de condomínio, aplicam no mesmo lugar.

Sendo assim, a negociação acontece na Bolsa de Valores (B3). Já o desempenho do ativo, se replica através de algum índice de referência, que pode ser de qualquer bolsa estrangeira, como as norte-americanas ou europeias.

Fundos de Câmbio

Basicamente, os fundos cambiais pegam cerca de 80% do seu patrimônio e investem em moedas estrangeiras. Dessa maneira, a maioria desses fundos acabam sendo atrelados a moedas sólidas como o dólar ou ao euro.

Portanto, para começar a investir nesse modelo de aplicação, assim como qualquer outro da lista, basta procurar uma corretora ou banco de investimentos.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais