Oi (OIBR3 e OIBR4) recebe aprovação do Cade para venda da InfraCo; veja quais são os próximos passos

De acordo com o comunicado, a decisão será definitiva em 15 dias corridos

A Oi (OIBR3 e OIBR4) notificou a aprovação, sem restrições, do Cade (Superintendência Geral do Conselho Administrativo de Defesa da Concorrência) referente à operação de alienação parcial da UPI InfraCo.

De acordo com o comunicado, a começar desta segunda-feira (18), a decisão será definitiva em 15 dias corridos se não houver recurso de terceiros.

Além disso, foi informado que o fim da operação está sujeito à aprovação prévia da Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações). Assim como, o cumprimento de condições precedentes.

Venda da InfraCo

No início de outubro, a venda da unidade de fibra óptica da Oi aos fundos do BTG Pactual e da Globenet Cabos Submarinos foi concluída, somando um valor de R$ 12,9 bilhões.

O contrato da primeira parcela está previsto em um quantia de R$ 3,3 bilhões, e a segunda, R$ 6,5 bilhões. Por outro lado, as parcelas finais somam R$ 1,6 bilhão, juntamente com um aporte de R$ 1,5 bilhão.

Em seguida, os investidores receberão ações representativas de 57,9% do capital social votante e o total da InfraCo, que pertence à Oi e as suas afiliadas.

Fim de ciclo

Atualmente, a Oi é a segunda empresa de telecomunicações que opera na Bolsa de Valores (B3) com mais acionistas, perdendo apenas para a Vivo (VIVT3), com 1,3 milhões de investidores. Por essa razão, muita gente acompanha a reestruturação da companhia.

Desse modo, o ciclo está chegando ao fim, com o plano de recuperação da operadora que envolve a venda da telefonia móvel. Assim como, o investimento em fibra óptica para expandir sua influência no segmento de banda larga. 

Por fim, a empresa visa buscar a melhor solução para a telefonia fixa de cobre, um serviço de herança da concessão de serviços da época das privatizações.

Oi finalmente recebe aprovação para a venda da InfraCo; veja quais são os próximos passos
Logo da operadora Oi

Próximos passos

Com isso, é possível analisar e fazer algumas previsões referente ao futuro da empresa. No entanto, somente o desenrolar de tudo poderá trazer, efetivamente, as respostas. A “Nova Oi” se propõe a ser diferente da antiga e muitos investidores depositam esperanças em sua volta por cima.

Em suma, a Oi visualiza sua recuperação até 2024, com foco total na fibra óptica. Portanto, a companhia estima um crescimento anual médio de 31%, além de uma receita líquida entre R$ 14,8 bilhões e R$ 15,5 bilhões neste período.

Sendo assim, o propósito da empresa é alcançar um total de 8 milhões de moradias com sua rede de fibra até o fim do plano. No primeiro trimestre deste ano, por exemplo, a companhia registrou 2,5 milhões de domicílios.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais