Aeris (AERI3) reporta queda de 61% no lucro do quarto trimestre

A Aeris (AERI3) registrou queda de 61% no lucro líquido do quarto trimestre de 2020 ante o mesmo período de 2019, conforme documento encaminhado ao mercado na terça-feira (9).

De acordo com a empresa, o lucro líquido foi de R$ 15,6 milhões, enquanto a receita operacional líquida disparou 166%, para R$ 749 milhões.

Já o Ebitda (lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização), que mede o resultado operacional, caiu 13%, somando R$ 52 milhões.

No ano de 2020, o lucro atingiu R$ 113,2 milhões, aumento de 27,6% quando comparado a 2019. A receita líquida mais que dobrou no último ano, encerrando 2020 em R$ 2,2 bilhões.

O Ebitda, por sua vez, aumentou em mais de 45% na comparação anual, atingindo R$ 243 milhões, com margem Ebitda de 11%.

No último ano, a exportação representou 35% da receita líquida, e houve a inclusão de novos mercados na América Latina e Austrália.

Aeris (AERI3) anuncia emissão de R$600 mi em debêntures

Investimentos

Ainda segundo a empresa, os investimentos somaram cerca de R$ 300 milhões. Este montante foi destinado à expansão da produção, incluindo a aquisição da Planta Pecém II, que já opera a plena capacidade, e para preparar a companhia para atender aos volumes de pedidos já contratados para 2021 e 2022.

Em 2020, o retorno sobre o capital investido (ROIC, na sigla em inglês) foi mantido acima de 20%. Já a alavancagem líquida caiu para 1,8x ao final de dezembro do ano passado.

Do ponto de vista operacional, em 2020, a Aeris Energy produziu pás suficientes para equipar aerogeradores que totalizam 3,5 GW de potência, dos quais 2 GW foram e ainda serão destinados a parques eólicos instalados no Brasil.

CEO da Aeris Energy, Alexandre Negrão disse que foi um ano desafiador em razão da pandemia de Covid-19, mas a companhia encontrou boas oportunidades. “Seguimos muito entusiasmados com toda a perspectiva favorável para o setor de energias renováveis, em especial, a energia eólica, segmento em que estamos inseridos. O avanço da pauta ESG nos mercados nacional e internacional, assim como o crescimento do mercado de energia livre no Brasil – que tem demandado cada vez mais a construção de usinas eólicas no mercado interno-, pode nos favorecer”, disse.

Veja AERI3 na Bolsa:

  • Só clique aqui se já for investidor

Comentários estão fechados.

This website uses cookies to improve your experience. We'll assume you're ok with this, but you can opt-out if you wish. Accept Leia mais