5 ações mais recomendadas para o mês de agosto, segundo as corretoras

Veja as ações mais recomendadas pelas corretoras do país para este mês

O Ibovespa finalizou julho com baixa de 3,08%, fechando em 121.800,79 pontos. Assim, neste início de mês, várias corretoras de investimento renovaram seus palpites de como será o desempenho das ações em agosto.

Vale lembrar que a maior alta da Bolsa de Valores (B3), durante o mês de julho, foi em detrimento dos ativos da JBS (JBSS3), com 10,14% de valorização.

Em contrapartida, na ponta negativa, os papéis da Americanas S.A (AMER3) tiveram o pior desempenho do mês, com baixa de 25,90%.

Dessa forma, veja as principais ações recomendadas por 10 corretoras. Entre elas, a Moldalmais, Easynvest by Nubank, Nova Futura e outras.

1 – Vale (VALE3)

As ações da Vale lideram novamente o ranking das carteiras de investimento de bancos, corretoras e casas de análise para o mês. Dessa forma, os ativos apareceram em cerca de 6 das recomendações consultadas.

Da mesma maneira, a empresa também aparece como uma das melhores pagadoras de dividendos do ano. Com isso, a porcentagem chegou a 7,1% de Dividend Yield. A companhia é uma das maiores operadoras de logística do país, assim como a maior produtora de minério de ferro, de pelotas e níquel.

2 – B3 (B3SA3)

Em segundo lugar, ficaram os papéis do próprio Ibovespa (B3). Segundo analistas do mercado, as perspectivas para o ativo em agosto são animadoras, mesmo a Bolsa tendo finalizado julho no vermelho. 

Um dos principais motivos é o crescimento do volume de IPOs (Oferta Pública Inicial) e oferta subsequente de ações (follow-on). Além disso, há também a questão de que a B3 é uma empresa com governança, gestão e eficiência operacional que proporciona uma boa rentabilidade.

Ilustração ações mais recomendadas agosto

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

3 – Lojas Renner (LREN3)

As ações das Lojas Renner entraram na lista como uma novidade aos investidores. Dessa forma, o ativo recebeu mais de cinco indicações, mesmo com uma queda de 6,60% no acumulado do mês de julho.

De acordo com a Elite Investimentos, o ativo demonstra agilidade em relação a tomada de decisões para minimizar os efeitos da crise. No entanto, a varejista sofreu bastante com os impactos da Covid-19.

4 – BTG Pactual (BPAC11)

O BTG Pactual vem se consolidando no mercado. Cada vez mais, a instituição é vista como uma plataforma completa de serviços financeiros, que atende pessoas físicas e clientes mais sofisticados. Dessa forma, o banco vem apresentando mais novidades. Um exemplo foi o anúncio de uma parceria com a Invesco.

A parceria irá distribuir os produtos da Invesco em território nacional, além de dar acesso aos clientes para o Invesco Greater China Equity, um dos maiores fundos offshore que aplica recursos em empresas da China.

5 – Itaú Unibanco (ITUB4)

Com a expectativa positiva no cenário econômico em 2021, o Itaú BBA opta por companhias que fazem parte do setor de commodities, segmento esse que vem se destacando nesse segundo semestre do ano.

Os analistas do banco preveem um aumento nas vendas de distribuição de combustíveis, à frente das projeções de crescimento do PIB brasileiro este ano.

“Empresa no radar por seu ramo de atuação, e acompanhada por seus múltiplos fundamentalistas (indicadores de mercado), como preço lucro, preço valor patrimonial, dividend yield etc, e em conjunto com análise top-down que leva em consideração a análise macroeconômica, e adicionalmente o timing do preço, com as recentes movimentações”, afirma o Banco Modal sobre o ativo.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais