10 bancos que baterem recorde de reclamações no segundo trimestre de 2021

O ranking criado pelo Banco Central considera as reclamações que tiveram descumprimento perante leis e regras já existentes

As instituições financeiras no Brasil permanecem firmes e fortes, mesmo depois da crise causada pela pandemia e dos altos e baixos na economia brasileira.

Sendo assim, o lucro bancário chegou a R$ 23,1 bilhões no segundo trimestre de 2021, um verdadeiro recorde para o setor. No entanto, como toda história tem dois lados, o setor bancário também viu o índice de reclamações crescer.

O ranking criado pelo Banco Central (BC), que considera apenas aquelas reclamações que tiveram descumprimento da instituição financeira perante leis e regras já existentes, aponta o nome de alguns bancos conhecidos.

O Ranking

O ranking de reclamações do Banco Central considera reclamações realizadas apenas neste segundo semestre de 2021. Dessa forma, o índice se estabelece a partir de um cálculo sobre a divisão das denuncias sobre o numero de clientes. Por fim, o resultado é multiplicado por 1 milhão.

Para esse índice, é utilizado apenas reclamações que tiveram o descumprimento, por parte da instituição financeira, de alguma lei ou regulamentação já existente.

10 bancos que baterem recorde de reclamações no segundo trimestre deste ano
Ilustração reclamações bancárias

1° BTG Pactual/Banco Pan (BPAC11)

O vencedor é o BTG Pactual, também dono do Banco Pan. A instituição financeira, com mais de 12 milhões de clientes, conseguiu um índice de 103,44. Vale lembrar que a média das outras instituições, que não estão nos 3 primeiros lugares do ranking, é de 30. 

Do total de 3.630 reclamações, 1.301 são reguladas pelo BC. Ou seja, em mais de mil casos, houve descumprimento do banco para com seus clientes, de acordo com as leis e regulamentações vigentes.

 2º Banco Inter (BIDI11)

O primeiro banco digital com capital aberto na Bolsa de Valores brasileira (B3) entra no segundo lugar. Isso porque a instituição financeira conseguiu um total de 1.786 reclamações.

A princípio, cerca de 700 são reguladas no Banco Central. Mesmo assim, o índice do Inter ficou em 66,79. Em suma, a empresa tem atualmente aproximadamente 11.467.628 clientes. 

Caixa Econômica Federal

De acordo com o levantamento, a Caixa obteve um índice de 32,13. Dessa forma, o banco federal aparece como a 3° instituição com mais reclamações no segundo trimestre de 2021.
Em síntese, a mesma que tem cerca de 145 milhões de clientes e chegou ao terceiro lugar com 16 mil reclamações. Destas, 4.681 são reguladas no banco central. 

Demais bancos na lista

  • 4º Santander (SANB11) – Índice: 28,88; reclamações reguladas: 1.514; total de clientes: 52.415.407
  • Bradesco (BBDC4) Índice: 25,33; reclamações reguladas: 2.515; total de clientes: 99.260.817
  • Banco do Brasil (BBAS3) – Índice:21,09; reclamações reguladas: 1.456; total de clientes: 69.010.996
  • 7º Itaú (ITUB4) Índice: 17,59; reclamações reguladas: 1.508; total de clientes: 85.710.724
  • Votorantim  Índice: 4,64; reclamações reguladas: 78; total de clientes: 16.774.345
  • Midway S.A.  Índice: 2,45; reclamações reguladas: 26; total de clientes: 10.604.729
  • 10º Nubank Índice: 0,00; reclamações reguladas: 0; total de clientes: 17.916.854

Motivos das reclamações

Dentre os principais motivos das reclamações estão: a oferta ou prestação de informação sobre crédito consignado de forma inadequada, irregularidades relativas a integridade, confiabilidade, segurança, sigilo ou legitimidade dos serviços relacionados a operações de crédito

Além disso, oferta ou prestação de informação sobre a conta ou serviços acessórios de forma inadequada.

Comentários estão fechados.

Este site usa cookies para melhorar sua experiência. Presumiremos que você está ok com isso, mas você pode cancelar, se desejar. Aceitar Leia mais